Há tempos falo da preocupação da TV com a internet. Ou melhor, o quanto de público as plataformas digitais, principalmente o YouTube, estão roubando da televisão. E isso só se reforçou para mim quando eu vi a presença de youtubers em uma novela da Globo. Não, não assisto novelas! Deparei-me com o fato por acaso. Porém vamos ao que importa. Isso pode parecer nada demais, mas lembre-se que até pouco tempo atrás a emissora nem falava o nome de youtubers e nem de redes sociais. Tudo isso porque via esses como concorrentes. Aos poucos, alguns famosos da internet passaram a aparecer em programas da emissora, entretanto quase sempre em atrações noturnas. E, se você está se perguntando por que estou citando apenas a Globo, é porque o canal comanda e dita as regras da televisão aberta brasileira. Mas voltamos as situações. Para mim, a emissora contratar o Choque de Cultura para um programa em horário de pico já foi uma amostra gigante de que ela sabe que está perdendo para a internet (como eu explico melhor neste texto aqui). O que eu não sabia era da presença de youtubers na novela da Globo "Espelho da Vida". Esse fato está no mesmo nível ou é até mais preocupante para a televisão do que o caso acima. Já que, as novelas sempre foram as atrações mais importantes do canal ao lado do Jornal Nacional.

Por que usar youtubers?

Se você ainda não entendeu aonde eu quero chegar, vou direto ao ponto. Os youtubers são extremamente relevantes para um público mais jovem. Aqueles mais ou menos entre 13 e 23 anos, exatamente a mesma idade que não consome quase nada de TV aberta. Ou seja, é uma tentativa da emissora para atrair os jovens por meio de pessoas que eles gostam. No caso, os escolhidos foram: Kéfera Buchmann (11 mihões de inscritos) e os integrantes do Porta dos Fundos (15 milhões de inscritos) João Vicente de Castro e Thati Lopes. Além deles, ainda tem Robson Nunes que é uma figura conhecida por boa parte desse público. Basta esperar para ver se isso vai dar resultado ou não. Particularmente, eu acredito que isso não será suficiente para trazer tanto público. Talvez a Kéfera consiga um pouco, mas não vejo os dois do Porta como influenciadores tão relevantes a esse ponto. Sigo acreditando que isso é muito mais uma medida desesperada do Globo que não para de perder público para o YouTube do que uma opção completamente sensata. Pois, como o Richard Rasmussen disse em entrevista que eu fiz com ele, "a TV já perdeu essa corrida".

Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.