Depois da compra do Instagram, em 2012, o Facebook procurou o seu domínio na internet. Com a intenção frustrada de comprar o Snapchat, o plano passou a ser criar o seu próprio. Assim, em 2016, surge o Stories do Instagram, até então, a melhor criação do aplicativo. Um movimento ousado, podemos dizer. A internet é repleta de cópias e o Facebook se mostrou ser uma das empresas mais desavergonhadas do Vale do Silício. Tanto que essa atitude foi gritante. Além de ser uma cópia do Snapchat, a criação se mostrou também uma ameaça. Mas, além da atitude da empresa, o próprio Instagram estava passando por problemas. Os usuários já haviam percebido que as fotos e os vídeos estavam exigindo um glamour maior que o comum. Não bastava postar uma foto, teria que ser uma foto digna de Instagram. Nisso, os usuários não postavam mais diariamente. Era preciso algo novo no aplicativo. Leia também: 7 dicas de como usar o Instagram Stories

Surgimento do Stories 

Segundo o CEO do Instagram, Kevin Systrom, o maior problema que havia no aplicativo era a pressão de compartilhar fotos incríveis. "As pessoas querem realmente compartilhar muito mais. Mas não querem que fique pendurado na parede da galeria". Nisso, em agosto de 2016 - três anos depois do dono do Snapchat negar a proposta de US$3 bilhões - surgem os stories do Instagram. A ferramenta permite a publicação de fotos e vídeos curtos - tiradas e gravados direto no aplicativo - que desaparecem após 24 horas a partir da publicação. O seu surgimento, além de responder ao pedido dos usuários, representa uma alternativa de baixa pressão nos feeds. Desde seu surgimento, a ferramenta vem inovando em suas propostas. No mesmo ano, acrescentou o zoom, os stories passaram a aparecer na barra do explorar, surgiu o recurso boomerang e os stickers poderiam ser usados. Junto, passou a ser possível adicionar links, mencionar usuários e mandar mensagens diretas. No ano seguinte, em 2017, os avanços continuaram. A ferramenta atingiu a marca de 150 milhões de usuários, e com isso veio a criação das métricas do stories. No mês de novembro, junto com outras várias ferramentas criadas, atingiram 300 milhões de usuários. Desde então, mostrou-se claro que o lançamento do stories foi a melhor decisão do aplicativo. Tanto que a mesma ferramenta foi colocada no Facebook. E serviu para dar uma alavancada, já que ela conseguiu atrair mais de 400 milhões de usuários diários até então. E também mudou a forma como as pessoas compartilham e consomem conteúdo online. Isso, acabou desencadeando uma queda significativa do Snapchat.

Stories x Snapchat 

Existem vários motivos para o stories do Instagram funcionar do jeito que funciona. E o principal é: espontaneidade. A maioria dos conteúdos são feitos casualmente e de forma rápida, feito diretamente com a câmera do Instagram.

A vantagem é que não é preciso ter um preparo grande para um conteúdo de qualidade. Não que isso não seja diferente no Snapchat, mas o stories do Instagram traz a vantagem de estar dentro de uma plataforma já grande e muito usada.

Isso gera uma relação muito mais ampla entre produtores de conteúdo e usuários.

Leia também: Como organizar o feed do Instagram para atrair seguidores

E enquanto o número do stories cresce, o do snap só cai. Tanto que no começo do mês, a empresa anunciou que mais de três milhões abandonaram o aplicativo. Isso vem muito dele sempre parecer mais íntimo, com mensagens privadas sendo o recurso mais usado.

Já o stories, no entanto, além de surgir para usuários já formados dentro de um aplicativo, ele se tornou o foco do Instagram. Tanto que hoje, ao entrar, o stories é a primeira coisa que você enxerga.

Quão grande é o Stories do Instagram?

Os mais de 400 milhões de usuários diários do stories ultrapassam indiscutivelmente o número do Snapchat inteiro. Segundo dados da RBC Capital, cerca de 31% publicam um stories todos os meses, sendo 10% maior que no ano passado.

E 47% assiste stories pelo menos uma vez por semana.

Muitos famosos também crescem com a ferramenta. A atriz e comediante Lele Pons, por exemplo, ficou muito marcada pelo Vine. Hoje, recebe uma média de quatro milhões de visualizações por stories, de acordo com o CEO da Shots Studios, John Shahidi.

As pessoas também estão gastando mais tempo no Instagram do que nunca. Nos Estados Unidos, os usuários do Instagram de Android gastaram mais de 53 minutos por dia em junho, segundo a SimilarWeb.

Esse número representa o dobro de tempo com o registrado em 2017. Apesar de que não podemos vincular esse crescimento diretamente com o stories, mas é um fator que não pode ser evitado.

"O Stories do Instagram se tornou a maior cura do mundo para o tédio. É um formato viciante. É uma ótima experiência", comentou Rich Greenfield, analista da BTIG.

O futuro

Atualmente a ferramenta mostra um grande potencial com anúncios. Para assim, tornar-se o principal negócio do Instagram. E até do Facebook. Os anúncios feitos aparentam ser uma ação não só fácil, mas de grande alcance para as marcas/empresas. Há muito tempo, grandes nomes procuram espaço em televisões, sendo que, muitas vezes, os números chegam a ser iguais. Se considerarmos o stories do Instagram como a nova televisão, a plataforma tende a demonstrar ainda mais crescimento. Mas ainda é cedo para já deixar isso por escrito. Contudo, há um pensamento otimista sobre ela. De acordo com Sheryl Sandberg, diretora de operações do Facebook, as pessoas estão gastando mais tempo no stories, o que significa um futuro crescimento na receita da empresa. Greenfield revelou que os problemas do Facebook e do Instagram não tem mais a ver com a falta de demanda dos anunciantes. Mas pelo vídeo vertical ser um formato novo, não há anunciantes o suficiente criando anúncios nesse formato. "De uma perspectiva financeira, é certamente motivo de preocupação. Mas do ponto de vista estratégico, significa que o Instagram está em uma posição mais forte do que antes", escreveu Ben Thompson, autor do Stratechery. Com a entrada do IGTV, as coisas também podem mudar. Ainda não definido se para bom ou ruim. Mas, é preciso dizer que o Instagram transformou uma cópia em algo "original" e de sucesso. Leia também: Conheça dicas fundamentais para repostar no Instagram corretamente FONTES Fonte1 Fonte2 Sobre nós A influu é o ecossistema feito para influenciadores digitais. Com foco na monetização e profissionalização dos novos formadores de opinião, a empresa se divide em três áreas: criação de conteúdo para o blog, redes sociais e YouTube, realização periódica de eventos por todo Brasil e mediação entre influenciadores e marcas para campanhas de marketing.

Para entrar em contrato, mande um e-mail para [email protected]

Guilherme Pin

Jornalista, aspirante a crítico e roteirista de filmes, youtuber nas horas vagas e o Chandler M. Bing da roda de amigos.