Atualmente vivemos constantemente conectados. Seja em casa ou na rua, estamos diretamente ligados na internet. E muito disso se deve a evolução tanto dos smartphones quanto da internet móvel. E este ano, ela vai ser ainda mais importante com o 5G. O 5G já está sendo considerado a atualização única em uma década para os sistemas sem fio começarem a alcançar ainda mais usuários de celular. Mas o uso da tecnologia não vai ser apenas para deixar os smartphones mais rápidos. Essa transição à quinta geração também irá afetar outros dispositivos. Robôs industriais, câmeras de segurança, drones, carros são algumas das tecnologias que receberão um update significativo da evolução. A ideia é ultrapassar a atual tecnologia sem fio (4G). E passar a oferecer velocidades de internet móvel que permitem downloads ainda mais rápidos. Além de gerar mudanças em videogames, esportes e nas compras. Estados Unidos e China já enxergam o 5G como uma vantagem competitiva. Redes mais rápidas podem, não só, difundir o uso da inteligência artificial, como também de outras tecnologias de ponta. É possível que o 5G seja pauta principal de próximos eventos como CES (Consumer Electronics Show) e MWC Barcelona (Mobile World Congress). A Samsung já chegou a demonstrar protótipos de smartphones dessa quinta geração que devem operar nas redes da Verizon e da AT & T. Outros fabricantes também já estão correndo atrás desse avanço que você precisa conhecer mais. E vai. Leia mais: Conheça as principais futuras tendências da Internet das Coisas

A tecnologia 5G

O 5G é, estritamente falando, um conjunto de regras básicas com técnicas que definem o funcionamento de um rede celular. Nisso, são inclusas frequências de rádio e vários componentes, como chips de computador e antenas, por exemplo. Juntos, eles manipulam sinais e trocam dados. Para obter os benefícios do 5G, serão necessários novos aparelhos. Além de novos equipamentos de transmissão que as operadoras de celular vão precisar. E como funciona atualmente, a velocidade do 5G vai depender diretamente de onde você mora. Afinal, depende dos serviços sem fio disponibilizados na região de cada pessoa. A velocidade, no entanto, será mais perceptível através dos vídeos de streaming de alta qualidade. De acordo com o cálculo da Qualcomm, o download médio de um filme, por exemplo, demoraria 17 segundos com o 5G.

Além dessa velocidade

O 5G não apresenta apenas um tipo de velocidade. Há um atraso, conhecido como latência que pode se tornar ainda mais importante com o uso da tecnologia. Atualmente, não há uma resposta imediata ao emitir um comando no smartphone. Existe uma defasagem entre 50 e centenas de milissegundos. Muito pelo fato dos sinais terem que passar entre os diferentes centros de computação da operadora. O 5G, por sua vez, foi projetado para reduzir essa latência. Além de fornecer sinais de maneira mais confiável do que as redes celulares atuais, que costumam retirar dados que não são essenciais para algumas tarefas. Esse avanço pode gerar diversas melhorias, principalmente com realidade virtual. Além de também dar margem para impactar áreas como medicina e campos que necessitam de conexão com alta velocidade. Leia também: Entenda o que é o “Bem-Estar Digital”

Quando poderemos usar?

Depois de todas as características aqui apresentadas, essa é a principal pergunta a se fazer. Porém, para nós brasileiros, a resposta não é tão positiva como gostaríamos. Para os americanos, é provável que a tecnologia chegue no segundo trimestre deste ano. A AT & T já ligou o serviço móvel de 5G em 12 cidades, com mais sete direcionadas em plano. Entretanto, os smartphones ainda não estão prontos para essa nova conexão direta. Com isso, a empresa vai começar a comercializar um dispositivo hot-spot 5G. Ele vai servir como um canalizador das conexões de banda larga sem fio para telefones e computadores próximos com o uso do Wi-Fi. Segundo Andre Fuetsch, presidente da AT & T Labs, os primeiros smartphones Samsung compatíveis com a rede estarão disponíveis a partir do primeiro semestre. Previsão igual a da Verizon. Além dos Estados Unidos, países como Grã-Bretanha, Alemanha, Suíça, China, Coréia do Sul e Austrália também devem receber a tecnologia neste ano. Porém, ainda será difícil ver toda sua capacidade logo de primeira. Tanto a Verizon quanto a AT & T vão introduzir ofertas de 5G com o primeiro uso de altas frequências conhecidas como onda milimétrica. Usando isso, provedores de serviços sem fio vão poder bombear dados em alta velocidade, mas em curtas distâncias. Com isso, é esperado que as transportadoras iniciem o trabalho em áreas densamente povoadas. No caso, os benefícios completos do 5G não são esperados até uma atualização dos equipamentos de computação central das operadas. E isso pode não acontecer até o final deste ano ou começo de 2020. Ainda assim, é um passo importante para o futuro da tecnologia e da internet. FONTE
Guilherme Pin

Jornalista, aspirante a crítico e roteirista de filmes, youtuber nas horas vagas e o Chandler M. Bing da roda de amigos.