Cada youtuber tem que encontrar sua melhor forma de trabalhar. Vídeos curtos ou longos, muito, pouco ou nenhum insert de humor, falar rápido ou pausadamente, como montar o cenário etc. Dentre essas escolhas, uma das principais é: fazer ou não roteiros para vídeos. Como eu já disse, é algo muito individual e depende de alguns fatores. Eu, pessoalmente, sou a favor da roteirização. Porém, é porque essa é a forma que eu me adaptei quando vou gravar críticas, listas e análises para o meu canal. Na hora da gravação não consigo lembrar de todos os pontos que vou abordar e muito menos a ordem que quero tratá-los. Por isso, filmo com algumas pausas entre os diferentes aspectos do filme (direção, roteiro, atuação) para relembrar tudo que devo analisar sobre esses. Mas essa não é a única forma de fazer roteiros de vídeos. Há outros muito mais completos para pessoas que não gostam de improvisar (falarei disso em um texto futuro). Ou tem outra opção: não roteirizar. Como eu disse, eu não consigo gravar dessa forma, entretanto, muitos youtubers preferem assim.

Não copie o que os outros fazem!

O importante é achar o formato mais confortável para você. Não tente copiar outros youtubers maiores nesse aspecto, até porque, é impossível saber quais usam ou não roteiro. As pessoas gostam de associar usar ou não roteiro à naturalidade, e isso está equivocado. É sim possível fazer vídeos espontâneos tendo escrito aquilo antes. A edição pode te enganar a esse respeito. O melhor exemplo é o Whindersson Nunes. Segundo maior youtuber do Brasil que tem o humor e espontaneidade como suas marcas. Saiba que tudo em seus vídeos é roteirizado, até as piadas.

Formatos

O roteiro também é fundamental para evitar pausas e respiros. Com ele, o vídeo fica mais dinâmico. Porém, há formatos de vídeo que funciona melhor sem roteiro. São aqueles que trabalham com a imprevisibilidade e o improviso. Por exemplo, o UTC, dos Castro Brothers. As piadas escritas e os duelos iniciais estão escritos previamente, mas, a partir daí, o resto é tudo natural. Nesse caso, se o programa fosse "combinado", ele perderia a graça, pois ninguém que participa é ator para convencer que algo fake é real.

Outro formato que funciona bem com ou sem roteiro é o opinativo. Por exemplo, os vídeos de quarta-feira da Ilha de Barbados. Eles tem total liberdade para se deixarem levar pela conversa e pelo tema. Nesse caso, ter algo escrito poderia barrá-los de seguir essa linha. Há também a possibilidade de filmar um vídeo opinativo com roteiro, seguindo uma linha de raciocínio já pré-estabelecida.

Conclusão

Gravar com ou sem roteiro é uma decisão que você deve tomar baseado no formato do seu canal e em suas qualidades. Possuir os principais tópicos escritos permite manter o youtuber no foco do vídeo e evita esquecimentos. E tê-los, não necessariamente deixará o vídeo menos natural. Já para gravar sem esse artifício, você deverá ter atributos semelhantes aos que eu falei no texto de ontem sobre fazer vídeos sem edição.  

Sobre nós

A influu é o ecossistema feito para influenciadores digitais e focamos na monetização e profissionalização dos novos formadores de opinião. Assim, a empresa se divide em três áreas: criação de conteúdo para o blog, redes sociais e YouTube, realização periódica de eventos por todo Brasil, além de mediação entre influenciadores e marcas para campanhas de marketing.
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.