Muitos dos nossos projetos começam pequenos. Canais passam por um início complicado em busca de inscritos e aos poucos vai crescendo. Com as redes sociais não foi diferente e elas começaram com sua primeira versão antes de crescer.  E por isso, para dar uma ideia do quão simples algumas das grandes empresas de internet começaram, vamos fazer uma viagem ao passado.  Apesar do design não conseguir dizer o que acontece nos bastidores de uma empresa, é uma maneira de visualizar o progresso. Além disso, há dicas dos fundadores sobre porque começaram pequenos. E como chegaram a grandeza atualmente.  Leia também: Saiba como crescer no YouTube com dicas do maior youtuber do mundo Então, vamos ver a primeira versão de cada grande rede social. E como essas empresas evoluíram.

Facebook

Mark Zuckerberg tinha uma visão de tornar o mundo mais conectado socialmente. Mesmo que ele tenha começado com uma pequena solução para conectar estudantes da universidade, o Facebook é hoje uma das maiores redes sociais. Zuckerberg tinha a intenção de construir algo para o longo prazo. E para ele, qualquer outra coisa é uma distração. "Eu sei que parece piegas, mas adoraria melhorar a vida das pessoas, especialmente socialmente. Tornar o mundo mais aberto não é uma coisa da noite para o dia". Leia também: Vale a pena ser produtor de conteúdo para o Facebook? 14 anos depois, desde o nascimento da rede social e ela sendo uma das maiores, o americano mantém sua visão. "Muitos dos princípios fundadores do Facebook são que, se as pessoas tiverem acesso a mais informações e estiverem mais conectadas, isso tornará o mundo melhor".

Google

Se hoje você não usa o Google, praticamente não utiliza a internet. E mesmo que atualmente o site seja uma grandiosidade, no início, Page e Sergey não esperavam que atingisse o tamanho e a influência de hoje. "Nosso interesse intenso e duradouro era ajudar objetivamente as pessoas a encontrar informações com eficiência" - Larry Page. Ao longo de anos, o design do Google se manteve escasso. Mesmo quando a empresa expandiu e adicionou mais ferramentas. "Tentamos, quando você vem ao Google, atender a essa necessidade que você tem o mais rápido possível", completa.

Tumblr

David Karp, fundador da rede, criou o serviço com o intuito de preencher uma necessidade individual. Na época, blogs estavam no auge, mas com um foco muito grande na escrita. Contudo, escrever, para Karp, era algo que nem todo mundo queria fazer. Atualmente, Karp atribui o sucesso da rede a inclusão de mais coisas. Isso ajuda a continuar forte no foco de construir algo que sua própria equipe ama usar.  "Algo que ainda é verdade no Tumblr é que ainda é um produto que nossa equipe constrói para nós mesmos. E algo que estamos entusiasmados para usar diariamente. Eu gostaria de acreditar que isso não só acontece no produto. Mas nos mantém perto do que o Tumblr realmente é". - David Karp.

YouTube

Se hoje você passa horas assistindo seus vídeos favoritos, é porque a equipe do YouTube está comprometida a construir uma comunidade que se envolve com o produto. "Nós tínhamos muitas ideias sobre como o serviço evoluiria. Vimos o YouTube como uma maneira poderosa de adicionar vídeos a leilões. Mas não encontramos ninguém usando nosso produto dessa forma". - Chad Hurley. Co-fundador, Hurley aconselha fundadores de startups a testar suas suposições e ouvir os usuários. E não entrar em um grande roteiro de produtos desde o início, baseado apenas em sua própria visão. Para ele, ao começar a criar o produto, não presuma que você sabe todas as respostas. Escutar a comunidade e se adaptar é o que leva ao sucesso. Leia também: Como ser um youtuber acima da média?

Amazon

Desde a primeira versão da empresa, Jeff Bezos, fundador, insiste que colocar o cliente em primeiro lugar é a principal vantagem da Amazon. E a função do site como varejista também vem desde a primeira versão. Mas mesmo com um enorme crescimento da empresa, Bezos continua focado naquilo que os clientes mais querem. Leia também: Como criar uma imagem pessoal sólida?

FONTE

Sobre nós A influu é o ecossistema feito para influenciadores digitais. Com foco na monetização e profissionalização dos novos formadores de opinião, a empresa se divide em três áreas: criação de conteúdo para o blog, redes sociais e YouTube, realização periódica de eventos por todo Brasil e mediação entre influenciadores e marcas para campanhas de marketing.

Para entrar em contrato, mande um e-mail para [email protected]

Guilherme Pin

Jornalista, aspirante a crítico e roteirista de filmes, youtuber nas horas vagas e o Chandler M. Bing da roda de amigos.