Teoricamente, toda pessoa capaz de influenciar outra por meio de veículos da internet pode ser considerada influenciador digital, seja na hora de indicar um produto para comprar ou com ideias. Então, se eu influenciar uma pessoa, eu já me enquadro nessa categoria? De certa forma sim. Porém, não gosto tanto dessa afirmação, pois ela desvirtua um pouco o trabalho dos influenciadores que produzem conteúdo sério para internet como trabalho. Ou seja, se você postar no seu perfil do Facebook uma opinião política e muita gente concordar, acredito que isso não te torne um influenciador digital.

Produção de conteúdo

Mas há um número de usuários que uma pessoa deve impactar para se tornar um influenciador? Não necessariamente. Eu acredito que o primeiro passo para alguém ser colocado como influenciador é produzir conteúdo constantemente a fim de impactar um público de alguma forma. Isso pode acontecer para entreter, ensinar, entre outras formas de influenciar esses usuários. Mas e atores famosos ou comediantes que tem milhões de seguidores, eles são influenciadores? Se produzirem conteúdo para o seu público, seja em Instagram, YouTube, Twitter etc, podem ser considerados influencers.

Engajamento

Porém o que eu acredito ser o grande divisor de águas é o engajamento. Um influenciador digital deve obrigatoriamente ter um público engajado com ele, com o que ele produz ou com os dois. E esse público deve ser formado por pessoas que ele não conhece. Ou seja, pessoas que são realmente impactadas frequentemente por esse produtor de conteúdo. Não adianta influenciar uma pessoa um dia apenas. O público engajado é aquele sempre presente e disposto a consumir mais daquele influencer. Entretanto, não sei dizer um número exato de usuários que uma pessoa precisa impactar para ser influenciador. E eu acredito sim que tem um número mínimo. Não gosto muito da ideia de que se tiver uma pessoa engajada com seu conteúdo já te torna influenciador digital. Por outro lado, acho que esse número não precisa ser tão grande assim. Umas centenas de pessoas já é suficiente. Pois, por mais que em termos de internet 100 pessoas não seja tanto, ter o poder de influenciar esse número de usuários é algo bastante relevante. Falo isso por experiencia própria. Meu canal tem pouco mais de 800 inscritos, mas destes apenas umas 30 pessoas são engajadas (excluindo amigos e familiares). Por isso, não me considero um influenciador digital, por mais que eu possa vir a ser algum dia.

Plataformas e tipos de influenciadores digitais

Em relação às plataformas digitais, é possível ser influenciador por meio de qualquer uma, principalmente YouTube, Instagram, blog e Twitter. Enquanto são vários os tipos de influenciadores: microinfluenciador, influenciador médio, influenciador grande, megainfluenciador etc. E dentro desses é possível especificar ainda mais: influenciador de nicho, influenciador de imagem, influenciador de conteúdo, entre outros.

Conclusão

A classificação "influenciador digital" está ligada principalmente a produzir conteúdo para internet com frequência e ter um público bastante engajado. Esse público precisa conter um número mínimo de pessoas, mas não necessita ser tão grande.
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.