A edição é um recurso totalmente necessário para que o vídeo tenha qualidade, e um dos principais artifícios de edição é a opção de cortar o vídeo e encaixar uma cena na outra de forma que o produto final fique conciso e com bom conteúdo visual. Mas qual é o problema de fazer vídeos em um único take? O vídeo feito direto, sem qualquer tipo de corte, funciona muito bem em lives, até porque o ao vivo não permite edição, porém, nos demais vídeos, não tem porquê não usar o método da montagem, pois ele te permite encaixar o que você obtiver de melhor de cada cena. A gravação audiovisual sem edição fica com excesso de informação e, consequentemente, de tempo. No YouTube, menos é mais, no sentido temporal da expressão. Passar o mesmo conteúdo em menos minutos é fundamental para atrair e manter o público do seu canal. Lembre-se que não são todas as pessoas que conseguem parar e assistir a um vídeo de uma hora, seja por causa da rotina ou por preguiça. Você não deve criticar os seus inscritos e, sim, entendê-los. Mesmo com o melhor roteiro, ao gravar o vídeo, algumas frases não saem como desejado, palavras são esquecidas, podem haver problemas técnicos, ou apenas o material pode ser melhorado mesmo. Tudo isso é conteúdo desnecessário, que se não for cortado ou corrigido tornará o seu vídeo monótono e menos interessante do que poderia. Pense no seu produto como um filme. Cada cena no cinema é cortada diversas vezes para passar a sensação de dinamismo. No caso do seu vídeo do YouTube, como também ocorre em obras cinematográficas, além do ritmo, você deverá gravar cenas e falas repetidamente, com algumas modificações de palavras e entonações. Dessa forma, na edição você terá um número maior de opções e escolherá a que ficou mais adequada. Ao contrário do tempo, na montagem, quanto mais conteúdo melhor.  
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.