Uma das notícias que mais ganhou repercussão no YouTube brasileiro nos últimos tempos foi que o Nando Moura teve seu canal desmonetizado. A partir daí, muitos contrários a ele comemoraram, enquanto o youtuber alegou estar censurado.

Bom, o objetivo deste texto não será tomar partido e sim entender o porquê do caso. E também analisar se o YouTube pode ou não fazer isso. 

Por que o YouTube fez isso?

A plataforma está com uma ideia simples e que julgo correta: valorizar conteúdos relevantes. Ou melhor, divulgar mais os vídeos ali presentes que não sejam contrários às diretrizes do YouTube.

Isso quer dizer que vídeos contendo conteúdo sexual, palavrões, mentiras, incitação ao ódio, teorias conspiracionistas etc serão menos difundidos. Pelo menos em teoria. 

Uma das formas de fazer isso é desmonetizando esses conteúdos. Pois os vídeos com anúncios são mais divulgados, já que essa é principal maneira do YouTube de ganhar dinheiro.

É principalmente aqui que entra o canal do Nando. Ele cresceu na plataforma principalmente incitando o ódio a outros youtubers. E já falou diversas frases mentirosas como a mais recente "Stalin ganhou o Prêmio Nobel duas vezes". Além de algumas teorias que podem ser consideradas conspiracionistas por não ter provas concretas.

Mas por que a plataforma quer barrar esses conteúdos? O YouTube está com receio de virar um local cheio de fake news e discussões políticas e religiosas infundadas. 

Muito disso por medo de se tornar um Facebook, rede que perde cada vez mais público e está lotada de fake news.

O youtube pode fazer isso?

Sem dúvida que sim. O YouTube é uma empresa privada do Google e ele pode fazer o que bem entender dentro de sua plataforma. Ele apenas empresta o seu espaço para a postagem dos influenciadores.

Por mais que muitas atitudes da empresa seja incomodas, esta tem todo o direito. E, neste caso, essa escolha é apenas uma forma de se preservar, algo bem comum no mundo capitalista globalizado que vivemos.

Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.