A lei dos direitos autorais no YouTube é algo muito discutido entre os produtores de conteúdo. O que dá uma verdadeira dor de cabeça, principalmente para quem cria na plataforma. E a batalha travada contra aqueles que violam essa lei acontece há tempos. Muitas mudanças nas diretrizes do site foram feitas justamente para eliminar roubos de vídeos e fraudes. Tanto que nesta semana, o YouTube melhorou a sua ferramenta Copyright Match Tool. Ela analisa todos os conteúdos publicados no site e verifica se aquele conteúdo já existe ou se ele é parecido com outros. Essa análise é feita no momento do envio do vídeo ao servidor e já vai a procura de semelhanças em seus dados. Segundo a publicação do Tecnoblog, essa ferramenta começará a ser usada na próxima semana em canais com mais de 100 mil inscritos. Caso o YouTube encontre um conteúdo duplicado do seu vídeo, o próprio produtor é notificado e vai poder escolher entre três opções:
  • Contatar o responsável pelo uso do seu conteúdo
  • Pedir para que o YouTube remova o conteúdo
  • Arquivar a sinalização
Esse recurso também vai bloquear a monetização enquanto essa decisão não for realizada. E o alerta funcionará apenas para conteúdos originais do próprio YouTube. Ou seja, ela irá alertar apenas o primeiro usuário que subiu o vídeo, já que, assim, ele será classificado como o criador original. Portanto, vídeos de plataformas diferentes, como Vimeo ou Facebook, não serão considerados. E não será apenas para trechos em vídeos. Ela será usada também para reuploads inteiros. Ou seja, quando o vídeo inteiro é baixado, publicado e vendido como original.

O cenário da situação

No último mês ocorreu uma importante votação do Parlamento Europeu que iria definir o futuro dessa batalha. Tanto que um dos comitês votou em aprovar uma nova legislação de direitos autorias, exigindo que as plataformas passem a monitorar e filtrar dados em busca de violações. Porém, especialistas apontaram a ação como problemática, principalmente pelo alto custo. Esse pensamento resultou na votação contra o avanço dessa nova direção, na semana passada. Outro motivo apresentado pelos votantes foi que essa reformulação poderia ameaçar a liberdade na internet. O resultado veio depois de 318 votos contra e 278 a favor. Mas ainda não é definitiva. Essa cotação apenas adiou o processo para setembro.

Uma batalha antiga

Desde 2013 que o YouTube já vem com ferramentas funcionais para esse segmento. Há cinco anos, o Content ID vem analisando violações de direitos autorais no YouTube, mas não demonstrou tanto triunfo. O YouTube, no último trimestre, chegou a remover mais de oito milhões de vídeos que não respeitavam as leis do site. Mas entre eles, muitos falsos positivos, ou seja, ocorreram remoções de usos legítimos dos direitos autorais. Nisso, a nova ferramenta se diferencia em ter um foco maior nessa análise e também de informar o produtor antes da remoção do vídeo.

Dicas para não violar regras de direitos autorais no YouTube

Todo produtor de conteúdo sabe o quão complicado é produzir algo 100% seu. Ainda mais novatos ou aqueles que exigem uma linguagem bem visual, com exemplificações. Mas não se preocupe. Na teoria, é errado usar um conteúdo que não seja seu, mas alguns chegam a ter os direitos liberados pelo dono. Inclusive, é possível encontrar material sem direitos autorais no YouTube, algo como trilha branca ou imagens de banco de dados. Sites como Pixabay e Fotos Públicas são exemplos. Outra coisa que também não prejudica o produtor é usar trechos curtos. Isso demonstra que você não está se utilizando do conteúdo de terceiros para gerar algo seu, mas sim, mostra que está usando apenas para exemplificações ou humor. Em canais de cinema, por exemplo, passa a não ser problema utilizar trechos de trailer, até por serem materiais promocionais. Mas pense sempre em criar algo todo seu. Além de gerar credibilidade com seu público, você também não é prejudicado. FONTES Fonte1 Fonte2 Fonte3 Sobre nós A influu é o ecossistema feito para influenciadores digitais. Com foco na monetização e profissionalização dos novos formadores de opinião, a empresa se divide em três áreas: criação de conteúdo para o blog, redes sociais e YouTube, realização periódica de eventos por todo Brasil e mediação entre influenciadores e marcas para campanhas de marketing.

Para entrar em contrato, mande um e-mail para [email protected]

Guilherme Pin

Jornalista, aspirante a crítico e roteirista de filmes, youtuber nas horas vagas e o Chandler M. Bing da roda de amigos.