O conteúdo família (entenda-o clicando aqui) é um grande problema para canais que gostam de produzir um conteúdo "sem filtro", recheado de palavrões e piadas sexuais por exemplo. Porém, ele não é tão problemático quantos muitos pensam, pois está ligado quase que exclusivamente a monetização. Ou seja, dificilmente algum canal vai ter o vídeo tirado do ar por não se encaixar na política family friendly. Para isso, é necessário passar muito dos limites, com conteúdos extremamente impróprios como nudez ou incitação de ódio. Apenas com algumas piadas é quase impossível isso acontecer. Mas por que todo mundo critica tanto o conteúdo família? Pois o canal que não se encaixar nessa regra, não consegue monetizar os vídeos. Isso é um grande problema? Aí vai depender da necessidade que o canal têm pela monetização. O YouTube não paga tanto assim com AdSense, então contas que conseguem se pagar de outras formas, não precisam se privar tanto assim. E quais são essas outras maneiras? A principal é o marketing de influência. Porém há também a venda de produtos, cursos, shows etc. Mas, calma! Não estou dizendo para você sair por aí falando palavrão sem filtro nenhum. Apenas estou dizendo que se o seu conteúdo pede umas piadas que não se encaixam no family friendly e você consegue monetizar sem o AdSense, faça-as. O conteúdo é sempre o mais importante, desde que não te prejudique.

Um bom exemplo

Ao entrevistar o Murilo Couto, ele disse que nunca monetizou um vídeo, porque não irá mudar o seu estilo de humor por causa de uma regra do YouTube. Entretanto, nesse caso, a renda principal dele vem dos shows de stand up, e não do YouTube. Por isso, para ele faz sentido não seguir essa política da plataforma. Já que ele a usa só para atrair público para o shows. Para ele, seguir essas regras poderiam ser prejudicial para o sua maior fonte de renda. Já que ele poderia perder muito de seu humor.
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.