Quando se fala em ganhar dinheiro como youtuber, as duas coisas que vem imediatamente à mente são: AdSense e Marketing de Influência. Porém, a primeira é sempre mal vista pelo baixíssimo valor pago, enquanto a segunda envolve uma dependência de terceiros: as marcas. Para atraí-las e lucrar com isso, é preciso ter relevância e público. Eis que surge uma outra opção de monetização, ainda pouco usual nesse meio. Trata-se da criação de cursos que aprofundam o conteúdo do seu canal. O bom é que, criar cursos com o conteúdo que você sabe, funciona para canais de todos os tamanhos e em quase todos os nichos.

Como fazer um curso para o canal?

Basicamente você tem que identificar algo que você seja realmente bom e que interesse ao público. E pode ou não ser algo relacionado com o conteúdo do canal. Como assim? Bom, se o seu canal é sobre temas artísticos e educativos como música, artes, cinema, matérias escolares, dicas para youtubers etc, o curso pode ser sobre o canal. Pois são assuntos muito amplos que podem render muita informação que interesse e ensine o seu público. Por exemplo: Um canal de crítica de cinema pode dar um curso de como se tornar um crítico de cinema. Ou sobre a linguagem dessa arte, algo muito profundo e extenso. E que ele talvez não consiga abordar no canal. Já em dicas para youtubers as opções são mais variadas ainda. Porque boa parte dos youtubers iniciantes querem aprender como ganharem relevância na plataforma. Então é possível criar diversos cursos sobre as nuances do YouTube, que vão desde uma criação aprofundada de título até fazer um planejamento de conteúdo a longo prazo. Mas se o seu canal é sobre humor, vlogs e temas parecidos, esses que são mais difíceis de ensinar, não tem problema. Dá para explorar outras facetas do canal que vão além do tema central. Coisas como curso de edição, como criar um canal relevante e como construir uma imagem pessoal são boas opções. Então, se você contar com um público engajado e tiver ensinamentos para passar, a criação de cursos de aprofundamento são excelentes opções de monetização. Seja eles online ou presenciais.

Exemplos de curso

Você pode estar duvidando quando digo que microinfluenciadores também podem ganhar dinheiro dessa forma. Então vou utilizar como exemplo a Joyce Pais. Muito provavelmente você não a conheça. Ela é criadora do site Cinemascope e do canal Cinemascopetv. Com apenas 12 mil inscritos e focada em um canal sobre um cinema nada popular, ela aprendeu a ter o YouTube como uma vitrine para o seu conteúdo. Apesar de não lucrar com o YouTube em si, ela criou uma imagem e um público por causa do canal. A partir disso, fez o seu próprio curso. Além dele, ela atualmente dá aulas na Academia Internacional de Cinema sobre produção de conteúdo de cinema para o YouTube. Mais uma coisa que veio como resultado de seu trabalho independente. Outro bom exemplo é de Caique Pereira, do Escola para Youtubers. Enquanto no canal dá dicas focada mais para iniciantes, ele tem cursos online para aqueles que realmente querem se aprofundar e virar influenciador digital. O que é fundamental, pois o seu nicho não costuma ser tão atrativo para a maioria das marcas e, com menos de 700 inscritos, ele pouco lucraria com o AdSense.
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.