O desempenho do algorítimo é um segredo guardado a sete chaves e ninguém, além de funcionários do próprio YouTube, sabem como realmente funcionam os algorítimos. Não existe um único algorítimo, mas um grupo deles que analisa quais vídeos são relevantes.

Afinal, o que é algorítimo?

Em termos técnicos, algoritmo é "uma sequência lógica, finita e definida de instruções que devem ser seguidas para resolver um problema ou executar uma tarefa". Em termos fáceis, no YouTube, o algorítimo verifica se o vídeo encaixa na busca feita pelo usuário. Entender algorítimo ajuda você a criar conteúdo relevante. Para isso, vamos entender como ele atua dentro da plataforma. O sistema do YouTube possui 4 pontos conectados: audiência, criadores de conteúdo, marcas e a própria plataforma. Quando a marca anuncia no YouTube, ela deixa que o algorítimo escolha o melhor canal e vídeo para anunciar o produto ou serviço. O pronto principal do algorítimo é a audiência, oferecendo a melhor experiência para quem está assistindo. São dois objetivos: o primeiro é achar o vídeo mais adequado para o que se procura. O segundo é fazer com que o usuário assista cada vez mais conteúdo através de "vídeos sugeridos" (aquela barrinha ao lado direito na página do YouTube). O algorítimo pega o histórico de vídeos que você assistiu e o histórico de busca para sugerir mais conteúdo. Ok. Entendemos como o YouTube entrega conteúdo para a audiência. Mas como o criador pode tirar proveito do algorítimo? A métrica mais importante para a plataforma é o watch time ou retenção: tempo que as pessoas passam assistindo e/ou interagindo com o vídeo. Porém, dentro dessa métrica, há elementos importantes como começo/duração de sessão e frequência de postagem. Entenda: Início de sessão: Toda vez que um vídeo traz alguém de fora do YouTube para dentro da plataforma, entende-se que o vídeo tem conteúdo bom, e você ganha pontos com o algorítimo. Duração de sessão: Não é apenas o tempo que o usuário passa assistindo ao seu vídeo, mas o tempo que ela passa no canal e as interações (comentários, curtidas, compartilhamentos, adicionar o vídeo a uma playlist, etc). Final de sessão: Se você coloca links no final do vídeo que tiram os usuário da plataforma, o algorítimo entende que não é o melhor conteúdo parar estar sugerido ou rankeado (posição de aparecimento das buscas) no YouTube. Frequência de postagem: Ser planejar e postar com periodicidade faz com o que o algorítimo goste do seu conteúdo. O YouTube prioriza canais que estão sempre em atividade. Leve em consideração que o histórico de visualização e pesquisa de cada espectador influência no algorítimo, mas desenvolver esses 4 pontos melhorará o desempenho do seu canal.
Fonte: Camilo Coutinho

Sobre nós

A influu é o ecossistema feito para influenciadores digitais. Com foco na monetização e profissionalização dos novos formadores de opinião, a empresa se divide em três áreas: criação de conteúdo para o blog, redes sociais e YouTube, realização periódica de eventos por todo Brasil e mediação entre influenciadores e marcas para campanhas de marketing.

Para entrar em contrato, mande um e-mail para [email protected]

Fernanda Campos

Fernanda Campos Almeida tem 23 e é graduada em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como criadora de conteúdo, assessora de imprensa e fotógrafa na influu.