A melhor forma de começar um vídeo no YouTube é ir direto ao ponto. Deixe bem claro, nos primeiros segundos, qual será o conteúdo abordado. É fundamental que você consiga segurar o público logo no começo. Até porque sempre haverá pessoas que estão assistindo o canal pela primeira vez. Se você não conseguir segurá-las no início, provavelmente elas procurarão outro vídeo sobre o mesmo assunto. E, possivelmente, essas pessoas não voltem mais ao seu canal. Mas não é só para usuários que não te conhecem que isso vale. As pessoas que usam o YouTube estão em busca de conteúdo. Se você demorar muito para entregá-lo, elas vão atrás de outro vídeo. Mesmo se estas gostarem do seu canal.

O que não fazer

influuteco sobre planejamento de conteúdo No último influuteco São Paulo, o palestrante Rolandinho, do Pipocando, deu um ótimo exemplo do que não fazer. Ele contou o caso de um dos vídeos de seu canal com pior recepção do público. Nele, havia uma piada de dois minutos no início que fazia com que demorasse muito para chegar ao assunto principal. E, com isso, muitos usuários saíram do vídeo nesse intervalo. Por que isso aconteceu? Dois motivos. O primeiro é que, em um canal de cinema, ninguém quer ver dois minutos de vídeo que não fale nada desse nicho. E segundo, eles acharam a piada muito engraçada, mas boa parte do público não. Então, essa é outra lição a ser aprendida. Quem tem que achar a piada boa não é você e, sim, seu público. Evite também começar com a vinheta do canal. Vinheta é elemento estético e não conteúdo, por isso ela causará esse mesmo efeito negativo.

Como começar um vídeo

Aqui usarei como exemplo o meu canal. Já que uso um formato quase que padrão no YouTube. Aquele mais recomendado e que julgo o mais eficiente. Esse formato é basicamente: Breve introdução -> Vinheta -> Conteúdo do vídeo. Por ser um canal de crítica cinematográfica, geralmente apresento o filme, chamo a vinheta e depois começo a analisar a obra.

Esse formato coloca o público a par do assunto e, ao entrar a vinheta em seguida, vem uma quebra que deixa essas pessoas ansiosas e na expectativa. Ao invés de saírem no vídeo, elas ficam esperando aquele conteúdo. Algo semelhante ao que programas jornalísticos, como o Jornal Nacional, fazem.
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.