Na semana passada, o Instagram abriu um novo fluxo de receita. Isso porque, nos Estados Unidos, a rede social abriu oportunidade dos 130 milhões de usuários que usam a tag de produto na plataforma, conseguirem comprar produtos sem sair do aplicativo. Nomeado Checkout with Instagram, o recurso foi lançado para mais de 20 marcas, incluindo Adidas, Kylie Cosmetics e Warby Parker

Agora, os clientes não vão mais precisar ser direcionados ao site de cada um para comprar os produtos. Segundo um porta-voz do Instagram, será introduzida uma taxa de venda para ajudar a financiar tanto os programas quanto os produtos. Assim, isso vai ajudar a tornar o pagamento no app possível. Além de compensar despesas de transação. 

A taxa de venda, por sua vez, ainda não definido publicamente, sendo testado ainda em beta fechado com as empresas. Porém, segundo o mesmo porta-voz, isso não vai alterar os preços dos produtos. Ou seja, a ação mostra que o Instagram quer que os comerciantes paguem a taxa em troca das taxas de conversão mais altas, ao invés de forçar os usuários a pagarem um valor de conveniência. 

Leia também: As 5 principais tendências para o Instagram em 2019

A compra

As tags do checkout vão aparecer tanto nas publicações do feed quanto nos Stories e na aba Explorar. Ao tocar na postagem com o recurso incluso, aparecerá as tags dos produtos e os usuários vão conseguir ver um botão com Google Checkout, ao invés do atual Visualizar no site. Ao clicar, poderão escolher entre as opções de tamanho e cor disponíveis. Na primeira compra, o recurso exige as informações de pagamento, que serão armazenadas. 

Após a realização da compra, os usuários vão poder rastrear o produto a partir da nova seção Pedidos do perfil. Lá, será possível ver o status do seu pedido, além de opções para cancelar, iniciar um retorno e entrar em contato com o comerciante. Os clientes também receberão uma notificação quando o pedido for enviado e não haverá uma mistura de recibos com as mensagens, como é no Messenger do Facebook

Já, as informações recebidas pelos comerciantes serão apenas as básicas de contato e endereço. 

O pagamento poderá ser realizado com PayPal, Visa, Mastercard, American Express ou Discover. Futuramente, o Instagram pretende permitir que comerciantes possam integrar as ferramentas Shopify, BigCommerce, ChannelAdvisor e CommerceHub, por exemplo. No momento, o Checkout será usado como um sinal para classificar o conteúdo que o usuários vê. 

O recurso Checkout

Graças ao Google Checkout, esses anúncios podem ganhar um impulso. Isso porque ele pode convencer as marcas de que a rede social produz um melhor retorno de investimento, já que possui menos etapas antes da compra definitiva. Além do fato do recurso deixar os comerciantes com menos dados dos usuários, diferente caso a compra fosse feita pelo site. 

O recurso, então, consegue levar a experiência de compras convenientes para outro nível, tornando-a mais intuitiva e perfeita para pessoas que desejam comprar instantaneamente o produto que acabaram de descobrir

No momento, ainda não há um sinal de um app independente para as compras do Instagram. Por sua vez, a plataforma lançou um canal dedicado a compras no Explorar e tags nos Stories. De acordo com o Tech Crunch, o protótipo da ferramenta traz um recurso parecido com o Pinterest

No caso, permite que os usuários tornem publicamente suas Coleções de postagens salvas. Algo que seria uma maneira de influenciadores recomendarem produtos equipados com o Checkout. 

Leia também: 7 dicas para melhorar seus anúncios no Instagram

FONTES

 

Guilherme Pin

Jornalista, aspirante a crítico e roteirista de filmes, youtuber nas horas vagas e o Chandler M. Bing da roda de amigos.