Com o gigante crescimento do marketing de influência, uma palavra começou a ganhar espaço: engajamento. Esse post explicará o seu significado, a sua importância para influencers e empresas e qual é a melhor forma de medi-la. Usarei o youtuber para exemplificar, pois essa é a plataforma com predomínio de influenciadores e campanhas. A lógica é quase a mesma para todas plataformas.

O que é engajamento?

Ele nada mais é do que o comprometimento do público com o conteúdo do youtuber. Uma maneira de determinar a fidelidade, carinho e proximidade dos seguidores. Então, ter inscritos engajados significa que boa parte deles acompanha toda postagem nova que você faz? Bom, essa seria a definição superficial do termo, mas, por se tratar de redes sociais e influenciadores, é algo mais complexo. Antes de qualquer coisa, vale destacar para quem esse tema mais importa. Além dos criadores de conteúdo, os mais interessados são as empresas que fazem campanhas de marketing de influência. Basta lembrar que a lógica desse modelo de "propaganda" é utilizar figuras capazes de induzir as pessoas a comprar um produto. E ela se diferencia do marketing tradicional justamente por buscar um personagem mais próximo do público, que trará mais eficiência àquela ação.

Números x engajamento

O grande problema é que as marcas ainda priorizam números ao engajamento. E, dessa forma, acabam gastando mais dinheiro com um youtuber grande, ao invés de pagar menos a outro com menos inscritos, mas que trará resultados melhores. Nessa disputa, não há qualquer discussão, de nada vale um influencer que tenha muitos inscritos, mas que apenas uma pequena parte deles assiste aos seus vídeos. Números de seguidores não querem dizer nada se não vierem acompanhados de elementos que comprovem fidelidade. Até porque, nos dias de hoje, comprar inscritos é algo bem fácil.

Como medir?

Como eu disse acima, para medir a proximidade do público do criador de conteúdo é necessário analisar alguns fatores. E os cinco principais são:engajamento Média de views: É preciso analisar a parcela do público que assiste ao conteúdo com frequência, já que não adianta um vídeo dobrar o número de inscritos se os outros não atingirem nem 5% desse valor. O foco aqui é porcentagem MÉDIA de público. Pessoas que são realmente fiéis assistem ao canal com constância. Comentários: Analisar a interação dos inscritos é fundamental. E não estou me referindo apenas à quantidade e, sim, à qualidade e frequência também. Um youtuber pode ter vídeos cheios de comentários, mas a maior parte deles vir de haters. É importante verificar isso, porque essa parcela do público não será afetada pelo influenciador na hora de decisão de compra. A verificação é necessária também, pois comentários também podem ser comprados. Outras redes sociais: Não adianta ser grande apenas em uma plataforma. O público fiel acompanhará seu "ídolo" em todas as redes que ele tiver. Além disso, plataformas como o Twitter trazem muito mais proximidade do público, porém dificilmente serão a rede social principal para criar conteúdo. Likes: Esse item é simples. Se o influencer tiver muitos likes é porque as pessoas gostam do que ele faz. Muitos deslikes mostram que ele conta com bastantes haters. Histórico: Geralmente esquecido, esse tópico é um dos mais relevantes. É essencial analisar como aquele youtuber cresceu, porque o bom engajamento se constrói gradativamente. Influenciadores que crescem do nada, por causa de um ou dois vídeos que viralizam, podem trazer fidelidade de público questionável e isso, muitos vezes, fica evidente nos quatro pontos abordados acima.

"Regra dos 10%"

A "regra dos 10%" diz que youtuber com público engajado deve ter, em média, 10% do seu número de inscritos assistindo aos vídeos. Essa lógica é muito válida, apesar de não ser perfeita. Ao meu ver, o único defeito dela, em se tratando de engajamento, é o fato dela não incluir a frequência de postagem. Ou seja, um youtuber que lança vídeo todo dia tende a ter uma média pior que outro do mesmo tamanho que sobe conteúdo apenas uma vez por semana. Por mais que os inscritos sejam fiéis, muitos deles não terão tempo de entrar na plataforma diariamente. Porém, isso não quer dizer que essas pessoas são pouco influenciadas por ele.

Por outro lado, essa regra mostra muita coisa sobre o assunto. Um bom exemplo disso é o canal Matando Robôs Gigantes (ou MRG para os mais íntimos). O trio é extremamente relevante dentro do nicho de cultura pop. Mas contam com apenas 264 mil inscritos em seu canal no YouTube. Número relativamente baixo comparado à importância deles para as pessoas que gostam do tema. Porém, o MRG dificilmente tem um vídeo com menos de 75 mil views (e passa dos 100 mil constantemente). Pela lógica dos 10%, isso equivale a um canal entre 750 mil e 1 milhão de inscritos.

Qual influenciador escolher?

A opção utópica é: mais engajado com valor mais viável. Entretanto, a realidade é sempre mais complexa. Muito vai depender do objetivo da campanha. Se você apenas quer que sua marca seja conhecida por mais gente e tem dinheiro para gastar, negocie com um grande influenciador. Caso o budget não seja tão grande, invista em influencers menores e mais baratos, mas que tragam retorno devido ao engajamento. Sempre que o esperado para a campanha for vender produtos, fidelidade de público deve ser a prioridade. E uma dica para os youtubers: saiba determinar o seu valor. Não há uma tabela de preços no mundo de influenciadores, mas, na hora de fechar uma campanha, leve em consideração também a sua relação com o público. Voltemos ao MRG. Eles devem negociar como um canal que tem mais de 75 mil views todo vídeo, que conta com um dos maiores podcasts do nicho e têm o Affonso Solano (um dos três integrantes) com 289 mil seguidores no Twitter. Eles jamais se venderão apenas como um canal com 260 mil inscritos. Sobre nós A influu é o ecossistema feito para influenciadores digitais. Com foco na monetização e profissionalização dos novos formadores de opinião, a empresa se divide em três áreas: criação de conteúdo para o blog, redes sociais e YouTube, realização periódica de eventos por todo Brasil e mediação entre influenciadores e marcas para campanhas de marketing.

Para entrar em contrato, mande um e-mail para [email protected]

Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.