É comum que youtubers que estão iniciando o seu canal não tenha muito conhecimento sobre a parte financeira da sua conta. Por estar vinculado ao YouTube e receber pelas visualizações da própria plataforma, é necessário criar uma empresa, como qualquer outro microempreendedor, para que possa declarar o dinheiro recebido e pagar impostos normalmente. Nesse caso, a melhor opção é abrir uma MEI (Microempreendedor Individual). A MEI nada mais é do que que se profissionalizar como pequeno empresário. O problema é que ela tem algumas limitações. "O seu faturamento não pode superar os 81 mil ao ano e não é permitido ter participação como sócio ou titular em outra empresa",  explica Lowrena Pessoa, Coordenadora Financeira da influu. Se passar desse limite,  a sua MEI é desenquadrada e passa ao regime ME (microempreendedor). Você continuará pagando os impostos da MEI até o final do ano e, em dezembro, terá de pagar a taxa referente ao valor que excedeu dos 60 mil. Mesmo sendo uma empresa de internet, também é necessário alvará de funcionamento, ou seja, o endereço fixo que qualquer empresa precisa ter. A melhor opção é usar o endereço de sua casa, caso você trabalhe nela. "Mas tem que tomar cuidado por que alguns bairros não podem ser classificados como local de empresa, pois eles são áreas exclusivamente residenciais. Nesse caso, comprar ou alugar espaço virtual é a melhor opção, já que te dará um endereço fixo e você conseguirá tirar todos os documentos, inclusive o alvará de funcionamento", atenta Pessoa. Para mais informações sobre questões financeiras para youtubers assista ao vídeo completo de Lowrena Pessoa:

Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.