Nesta quarta (13), o Facebook lança o mecanismo de publicidade para sua ferramenta Watch, lançada há seis meses. Nomeado Ad Breaks, o mecanismo vai colocar intervalos comerciais entre os vídeos da plataforma, muito parecido com a publicidade do YouTube atualmente. O Ad Breaks, então, permite que vídeos publicados pelos usuários possam ser remunerados com os anúncios direcionados pelo Facebook. As publicidades, no caso, poderão ser exibidas tanto antes e durante como também abaixo do conteúdo, tendo entre seis e 15 segundos de duração. De acordo com a empresa, a divisão da receita será de 55/45. Sendo, no caso, 55% para o usuário e 45% para a plataforma. No entanto, há regras para seu vídeo conseguir ser monetizado. Para conseguir ter os conteúdos remunerados, a página ter mais de dez mil seguidores e os vídeos precisam ter mais de 30 mil visualizações dentro de dois meses. Cada vídeo precisa ter mais de três minutos de duração e estar de acordo com as normas de qualificação. Por sua vez, o conteúdo não precisa ser exclusivo. Nesse caso, é possível publicar no Watch os mesmos vídeos publicados no YouTube. Leia também: LOL: conheça a plataforma de memes e vídeos do Facebook O Ad Breaks já foi lançado em alguns países, e continua sendo lançado aos poucos. O Facebook, como forma de divulgação da plataforma, está reunindo criadores em eventos, como o Creators Day. "Nós testamos os Ad Breaks nos últimos meses no Brasil, com algumas páginas selecionadas (...) Vemos o Brasil como um dos maiores e mais dinâmicos mercados de vídeo no mundo", explica Kate Orseth, diretora de Monetização de Mídia da rede social.

Benefícios do Ad Breaks

O principal objetivo do Facebook com a novidade é conseguir impulsionar mais conteúdos do Facebook Watch. Com a criação desse mecanismo, é mais um passo da empresa na sua competição com o YouTube. Apesar da plataforma de 2005 ainda concentrar mais usuários e mais conteúdo. Atualmente, o Facebook Watch concentra 75 milhões de espectadores ativos todos os dias, com tempo médio de 20 minutos de exibição. Dessa maneira, o Facebook procura dar formas de monetização os produtores de conteúdo. O que poderia ajudar no surgimento de novos. No entanto, a empresa não espera que isso aumente o número de publicações no Brasil. Para Orseth, caso isso aconteça, será uma consequência da iniciativa de oferecer uma forma de recompensa aos criadores. A vantagem aos criadores é que essa publicidade não precisa ser 100% escolha do Facebook. No caso, criadores conseguem decidir os anunciantes ou as categorias de anúncios que queiram mostrar em seus vídeos. Além de ser possível também enviar o conteúdo antecipadamente para ser analisado. Com isso, é possível começar a arrecadar lucro logo depois da publicação. As páginas com interesse em anunciar no Ad Breaks podem encontrar a opção na plataforma de publicidade do Facebook, chamada Ads Manager. Leia também: O Facebook morreu? FONTES 1 2
Guilherme Pin

Jornalista, aspirante a crítico e roteirista de filmes, youtuber nas horas vagas e o Chandler M. Bing da roda de amigos.