Esse texto é só um compilado de algumas coisas que os youtubers não devem fazer e que já citei anteriormente aqui. Posteriormente farei mais listas como essa. A ideia é falar sobre erros recorrentes que acontecem com influenciadores de todos os tamanhos.

1- Anúncios do Facebook para crescer

Se você tiver um público razoável e bastante dinheiro para gastar até vale a pena fazer anúncios no Facebook. Mas essa nunca é um boa opção para tentar crescer o canal. Pois como já venho falando há tempos, a plataforma não tem entregado posts de produtores de conteúdo. Além disso, a partir do momento que você começar a investir nisso, o Facebook sempre vai querer te cobrar mais para divulgar na mesma escala.

2- Equipamentos desiguais

Tente sempre evoluir o seu canal de maneira homogênea, principalmente em se tratando de equipamentos. De nada adianta ter a melhor câmera se você não tem um bom áudio ou uma boa iluminação. Essa desigualdade certamente será sentida pelo público e se tornará um ruído. Por isso, vá aos poucos comprando equipamentos similares, sobretudo câmera, microfone, iluminação e cenário.

3- Short tags

Não é proibido usar tags curtas, mas tenha sempre em mente que as tags longas (long tails) são mais relevantes na hora de ranquear porque se aproximam mais do que as pessoas buscam. Deixe as tags curtas para colocar o seu nome, o do seu canal ou alguma outra coisinha específica, como eu já falei em outro texto (clique aqui para lê-lo).

4- Piadas muito longas no começo dos vídeos

Eu fiz um texto e um vídeo sobre esse tema. Basicamente fazer piadas muito longas no começo dos vídeos pode afastar parte do público. Os usuários do YouTube querem conteúdo, então vá direto ao ponto e deixe as piadas mais para o desenvolvimento do assunto.

5- Grupo de divulgação

Dos cinco tópicos, esse é o que eu mais abomino. Porque grupo de divulgação no Facebook para tentar ganhar inscritos não tem benefício nenhum e te coloca em "dívida" com outras pessoas ainda. E o principal é que essa troca de inscritos só atrai "inscritos mortos", aqueles que não vão consumir o seu conteúdo, já que estão fazendo isso por obrigação. De nada adianta ter muitos inscritos se eles não convertem em views, likes e comentários. Ou seja, se eles não engajam com você.
Victor Russo

Tenho 22 anos e sou formado em jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sou criador de conteúdo da influu e cubro os eventos da empresa. Amo cinema e tenho um canal no YouTube, chamado 16mm, sobre o tema. Além disso, tenho um podcast sobre NFL chamado Goatopolis.