Youtuber que maltratou o cachorro recebe decisão da justiça


Youtuber que maltratou o cachorro

Há um mês nós noticiamos que uma influenciadora estava envolvida em uma polêmica. A youtuber que maltratou o cachorro em um vídeo foi denunciada por uma série de seguidores.

Na época, a influenciadora Brooke Houts tentou fazer uma pegadinha com o cachorro. Entretanto, quando deu errado, ela bateu, empurrou e cuspiu no animal.

Como justificativa, ela afirmou que amava o animal e que nunca faria isso. Mas que ela havia tido um dia ruim.

Quer saber tudo o que rolou no vídeo? Leia mais sobre essa história aqui.

O que a justiça disse

O Departamento de Polícia de Los Angeles tem uma força tarefa que investiga apenas crimes contra animais. Eles analisaram as imagens, entretanto, não viram nada que caracterizasse crime.

Segundo uma fonte revelou para a imprensa americana “É um vídeo perturbador, mas não pode ser classificado como crime”.

Por mais que o cachorro da raça Doberman seja tratado de forma agressiva, os policiais não acreditam que existam elementos que caracterizem maus tratos ao animal.

Porém. a polícia deixou claro que o vídeo é motivo para um alerta. Não apenas sobre a forma como os animais são tratados. A situação é muito mais complicada do que isso.

O vídeo ainda pode ser usado contra a Brooke em um tribunal. Caso surjam novas evidências de que ela maltrata o cachorro, o vídeo será acrescentado ao processo contra ela.

O vídeo e algumas consequências

A gravação da youtuber que maltratou o cachorro foi rapidamente removida do ar. Aparentemente, ela postou o vídeo errado na plataforma, mas o removeu rápido – especialmente por ser contra as políticas do YouTube.

Porém, como tudo que cai na internet ganha vida própria, o material rapidamente se espalhou. Com isso, a influenciadora que tinha mais de 334 mil inscritos no seu canal, passou a ter 325 mil.

Depois do problema, a influenciadora começou a postar uma série de vídeos com o cachorro. Claramente uma tentativa de melhorar sua imagem perante o público.

Mas será que isso vai funcionar?