YouTube e quadrinhos: Conheça o canal Pipoca e Nanquim


Conheça Pipoca e Nanquim. O canal protagonizado por Bruno Zago, Daniel Lopes e Alexandre Callari tem como matéria de produção a resenha de HQ’s. Ou pelo menos começou assim.

Pipoca e Nanquim surge em 2009, numa TV universitária com Bruno e outros integrantes. Já em 2010, assumem também Daniel e Alexandre e o canal muda de forma. Em 2011 se dá a primeira empreitada dos três amigos longe das câmeras. Eles lançam, como autores seu primeiro livro: “Quadrinhos no Cinema”.

O livro trata dos personagens que seriam lançados no cinema, mas não necessariamente sobre os filmes. Ele funciona basicamente como uma enciclopédia de cada personagem que iria pra telas em live-action, desde a criação à evolução nas páginas de seus criadores e propagadores.

No mesmo ano, Alexandre Callari começa a trabalhar em uma das maiores editoras de quadrinhos do Brasil, a Panini. Isso trouxe ainda mais credibilidade para o trabalho dos meninos.

Em 2012, Daniel Lopes também passa a trabalhar para Mitos/Panini. Nesse período eles também lançam o “Quadrinhos no Cinema 2”. Para que o time ficasse completo, em 2013 entra Bruno Zago também para a edição da Panini.

Falta de respaldo os caras não tinham né? Até então eles publicavam seu conteúdo no antigo videolog. Com a falência do site, eles migraram pro YouTube, que então já aceitava o formato e tamanho de vídeo que eles propunham. Com isso o canal foi crescendo. Em 2014, a coisa foi ficando mais profissional, e os meninos cada vez mais engajados na proposta.

Surge então um sonho: abrir a própria editora

Em 2016, quando passaram a receber patrocínios que alavancam o canal, eles tiveram a paciência de guardar o suado reward para regarem uma semente que já estava plantada: a editora do PN. No ano seguinte, eles fizeram o anúncio do sonho. Sempre com a precaução e a simplicidade de reconhecerem o caminho árduo que teriam pela frente.

Até que fizeram a primeira publicação, o “Espadas e Bruxas”, de Esteban Maroto. A partir de então, com recepção do público, a editora do PN vem trazendo para o Brasil obras de grande relevância e que até então o brasileiro não tinha acesso.

De acordo com o próprio Callari, em vídeo, o sucesso profissional deles tem muito a ver com a dedicação ao canal: “Cara, tudo isso que a gente conseguiu até agora veio através do Pipoca. Publicação de livros, ingresso na editora, o mínimo de notoriedade que a gente tinha, tudo a gente conseguiu por causa do Pipoca”.

Fica a lição: Vale a pena planejar bem sua produção de conteúdo no YouTube e ter visão empreendedora. A plataforma pode ser a porta de entrada para a realização de projetos maiores.