fbpx
Pular para o conteúdo

YouTube deleta vídeos sobre fraudes acadêmicas e influenciadores ficam bravos

A rede de notícias BBC denunciou, no dia 1 de maio, que mais de 250 canais do YouTube foram pagos para promover o site EduBirdie. Para quem não conhece, o EduBirdie é um site que vende trabalhos escolares e universitários. O YouTube então deleta esses vídeos na tentativa de lidar com a denúncia.

Segundo o site, o aluno só precisava informar o tema do trabalho e especificar o que foi pedido pelo professor. E, então, um profissional fará toda a pesquisa e a redação. O site promete que o aluno receberá nota máxima.

A denúncia das propagandas do EduBirdie

A BBC contabilizou um total de 1.400 vídeos –  que alcançaram 700 milhões de visualizações – e contém propagandas para o EduBirdie.

Adam Saleh foi um dos youtubers que fez propaganda para o site.

Em alguns desses vídeos, os youtubers fizeram questão de ressaltar o fato de que se você está com preguiça de fazer o seu próprio trabalho. Segundo eles, não seria necessário se incomodar, bastando apenas pagar um “nerd super inteligente” para fazê-lo pra você.

Alguns youtubers ainda completaram a fala afirmando que pagar para o EduBirdie fazer um trabalho significa mais tempo para jogar no videogame. Ou fazer qualquer outra coisa que seja agradável. O site EduBirds não é contra a lei. Entretanto, qualquer aluno que entrega um trabalho com o seu nome, mas de autoria de outra pessoa, terá que enfrentar consequências sérias.

Punição do YouTube

Depois que a denúncia foi feita pela BBC, o YouTube fez questão de ressaltar que propagandas sobre sites que vendem trabalhos acadêmicos são proibidas pelas regras do site. Os canais envolvidos no caso foram avisados, por e-mail, que vídeos com propagandas sobre o EduBirdie seriam excluídos da plataforma.

Por isso, quem não quisesse perder o seu vídeo deveria editá-lo até a sexta feira (04/05).

Como nem todos conseguiram fazer as edições a tempo, eles foram removidos da plataforma. Entretanto, isso gerou uma onda de revolta por parte dos donos dos canais.

O canal To Catch a Cheater revelou que 49 dos seus vídeos foram excluídos. De acordo com eles, isso é o equivalente a perder um ano de trabalho. Pelo Twitter, o canal AldosWorldTv questionou: “Se a propaganda não era permitida pelo site, por que eu consegui publicar tantos vídeos com o conteúdo?”.

Ele exigiu mais informações e reclamou do fato de que seu canal perdeu 30 vídeos. 138 vídeos do canal de pegadinhas TwinzTV foram excluídos. A reclamação geral se dá pelo fato de que os youtubers afirmam que tiveram pouco tempo e ainda estavam editando os vídeos quando eles foram excluídos.

O próprio EduBirdie tem um canal no YouTube. No entanto, agora, só tem um vídeo, que dá dicas sobre como escrever uma dissertação.

Fonte

Facebook Comments Box
16 de maio de 2018

Como adicionar cards no vídeo do YouTube

Um recurso muito eficiente para manter as pessoas assistindo aos seus vídeos são os cartões. Eles nada mais são do que cards que você adiciona no próprio vídeo e que…

27 de outubro de 2017

Não use “títulos fakes” para bombar seu vídeo!

Títulos fakes nada mais são do que aqueles que não tem relação com o conteúdo do vídeo. Ou quando o título até tem relação, mas não com a parte central…

5 de dezembro de 2018

Booktubers: conheça os influenciadores que transformam inscritos em leitores

O universo vasto fornecido pelo YouTube oferece milhões de estilos de conteúdo. E não só de entretenimento. Aliás, do mesmo modo que o Instagram se mostrou um salvador da poesia,…

19 de setembro de 2018

Influenciador de conteúdo x imagem: qual é o melhor?

Como eu disse no texto de ontem, há dois tipos de influenciadores, o que é conhecido pelo seu conteúdo e o famoso pela sua imagem. Na verdade, não tem necessariamente…

Rua Teodoro Sampaio, 2767 Sala 22 - Pinheiros, São Paulo, Brasil - CEP: 05405-250
thais@influu.me | imprensa@influu.me
CNPJ:19.354.277/0001-40

© Copyright influu.me - 2021
Todos os direitos reservados