Trilha do YouTube gera desmonetização em canais de influenciadores


Quem espera ter seus vídeos monetizados no YouTube sabe que não se pode brincar com direitos autorais. Por isso, muitos influenciadores recorrerem à própria plataforma de vídeos na hora de trilhar. O que eles não esperavam é que mesmo esse “lugar seguro”, a biblioteca do YouTube, poderia causar a desmonetização de seus canais.

Essa situação veio à tona quando o influenciador Matt Lowne expôs seu caso e o tratamento que recebeu do YouTube. Veja nesse post o que aconteceu.

Trilha do YouTube causou desmonetização

Matt Lowne, criador do canal Kerbal Space Program, costumava usar uma trilha específica para trilhar seus vídeos. E um detalhe importante: ela estava disponível na biblioteca do YouTube.

No entanto, um dia o youtuber acordou com mais de 20 e-mails de alertas em sua caixa de entrada. Todos sobre o mesmo assunto: o YouTube avisava que havia uma reclamação de direitos autorais. Justamente por isso, a renda publicitária proveniente dos vídeos deveriam ser divididas entre.

A música utilizada por Lowne era Dreams, de Joakim Karud. Por isso, o aviso do YouTube alertava que a monetização dos vídeos seria dividida entre o youtuber, a Sony e a Warner.

Todos os e-mails diziam: “o vídeo em questão pode conter conteúdo licenciado pela SonyATV, PeerMusic, Warner Chappell, Audiam e LatinAutor”. Por isso, alertavam que a partir de então, qualquer anúncio exibido em nos vídeos citados teria a renda dividida com as empresas citadas.

Contestando

Após o ocorrido, Matt contestou as reivindicações de direitos autorais. No entanto, todas foram rejeitadas.

A única opção para o influenciador era contestar cada acusação de violação de direito autoral separadamente. Porém, isso causaria um problema ainda maior: cada contestação perdida resultaria na remoção do vídeo no YouTube.

Junto com a remoção, viria uma advertência da plataforma de vídeos. E, ao totalizar três advertências, a conta seria banida permanentemente do YouTube. Considerando que são 24 vídeos reclamados, isso não é muito atraente.

Desfecho

Outros youtubers já passaram pela mesma problema. Por isso, uma pessoa no Twitter trouxe uma possível explicação.

Joakin Karud permite, de forma pública, que Dreams seja usada gratuitamente. E isso até mesmo de forma comercial. No entanto, Dreams tem uma parte sampleada de outra música, Weaver of Dreams de Kenny Burrell’s Quartet. E essa última, por sua vez, não consta na biblioteca do YouTube. E mais: Weaver of Dreams tem registros autorais da Sony/ATV Music Publishing LLC e Warner/Chappell Music, Inc.

Apesar de nada ter de fato sido solucionado para Matt Lowne, essa situação pode impulsionar mudanças na plataforma. Afinal, uma trilha indicada pleo próprio YouTube causar desmonetização é algo impensado. Assim, resta acompanhar para saber como a questão será tratada de agora em diante.

Fonte