Setembro amarelo: veja quais influenciadores já falaram de saúde mental


Nesta terça-feira (10) celebra-se o Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio. Comemorada durante o setembro amarelo, a data reforça a importância de se falar sobre temas relacionados à saúde mental. E, claro, influenciadores digitais não estão fora disso.

E isso porque a dinâmica das redes sociais pode ser exaustiva. Afinal, a superexposição e a busca por aceitação através de likes e comentários podem levar ao desgaste mental.

Por isso neste post vamos mostrar alguns influenciadores que já trouxeram para as redes sociais o tema da saúde mental. No entanto, antes vamos entender a importância de se falar nesse tema.

Setembro amarelo

O mês de setembro é conhecido pela campanha que incentiva a conscientização e a prevenção do suicídio. Criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), a campanha setembro amarelo traz o diálogo sobre o suicídio para a sociedade.

E esse diálogo é importante, afinal os dados relacionados a suicídio são alarmantes. E isso porque, a cada 40 segundos, uma pessoa tira a própria vida no mundo. Já no Brasil, o suicídio é uma das causas mais comuns de morte entre jovens.

Mesmo assim, o assunto ainda é um tabu. Porém é necessário lembrar que se trata de uma questão de saúde pública. Afinal, a visibilidade trazida ao tema é importantes, seja por meio de influenciadores ou de ações do setembro amarelo.

Influenciadores que já falaram de saúde mental

Veja a seguir influenciadores que já falaram sobre saúde mental e compartilharam suas próprias vivências relacionadas ao tema:

Whindersson Nunes

Whindersson é atualmente o maior youtuber brasileiro. Com 36,8 milhões de seguidores em seu canal, ele fala com humor de coisas do dia-a-dia e de sua vida.

E justamente por ter esse tom mais irreverente, o influenciador pegou os fãs de surpresa quando desabafou sobre sua saúde mental. No Twitter, Whindersson escreveu que não sentia vontade de viver. Por isso, ele se afastou das redes sociais para receber tratamento psicológico e psiquiátrico.

Dora Figueiredo

A youtuber Dora Figueiredo já desabafou sobre saúde mental em seu canal, que tem cerca de 1,7 milhão de seguidores. Ela disse que já pensou em tirar a própria vida, mas que conseguia se livrar desse pensamento por não querer causar sofrimento para sua família.

A youtuber enfrenta a doença desde seus 13 anos e faz acompanhamento psicológico.

Alinne Araújo

A influenciadora Alinne Araújo também abordava o tema saúde mental em seu perfil no Instagram, o @sejjesincera. Ela convivia com a doença e acabou tirando a própria vida depois que seu noivo desistiu do casamento na véspera.

Mesmo após o término, Alinne decidiu seguir com a cerimônia e casar-se consigo mesma. Após a decisão, internautas começaram a comentar dizendo que ela havia mantido a cerimônia para ganhar likes. Por isso, a influenciadora entrou em uma crise que culminou no suicídio.

Padre Fabio de Melo

Bastante ativo no Twitter, padre Fábio de Melo deixou a rede social após uma polêmica. Ele contava com mais de 6 milhões de seguidores.

Com um histórico de depressão, padre Fábio de Melo começou a receber diversos ataques de haters após uma opinião impopular. Por isso, ele decidiu se ausentar da rede social para cuidar da própria saúde mental.

Celebridades

Além dos influenciadores digitais, figuras públicas também já trouxeram a público suas lutas contra a depressão.

A cantora Britney Spears teve um colapso em 2007 e passou por internações, perdendo inclusive a guarda dos filhos. Porém ela conseguiu retomar sua carreira. O ator Jim Carrey também trouxe a público seu disgnóstico de depressão em 2004 e até hoje lida com a doença.

No Brasil, o ator Selton Mello contou que pensou em abandonar a carreira após ser diagnosticado com depressão em 2008. E, mais recentemente, o caso da cantora Demi Lovato ganhou a mídia. A cantora teve uma overdose e precisou ser internada, mas hoje está melhor.

Fontes 1 e 2