4 coisas que ninguém falou sobre inovação


Em algum momento, toda empresa precisa de inovação. Seja uma de grande porte, independente ou entidade governamental. Isso porque as condições mudam com o tempo, e manter o mesmo modelo pode resultar em falhas futuras.

Leia também: Conheça o poder dos micro-influenciadores

Neste caso, é preciso administrar. Mas não por estabilidade e sim por ruptura. E não há um só caminho para inovação. Cada um deve encontrar o seu próprio caminho e um que funcione e agrade a empresa.

Portanto, não significa que se alguém teve sucesso com uma estratégia, ela também vai funcionar com você e sua empresa. O melhor conselho, então, é reunir o máximo possível de ferramentas. Conheça agora quatro fatos sobre inovação não tão conhecidos. Mas muito importantes.

Leia também: Mudar o nome do canal é um problema?

O sucesso trabalha contra você

Na maior parte dos casos, os gerentes não são os responsáveis pela inovação. Como o título da profissão indica, eles são responsáveis pelo gerenciamento de operações, que envolve contratação, fortalecimento de funcionários e otimização de práticas e processos.

Além da redução de erros. Os gerentes estão, normalmente, tentando executar as coisas de maneira suave e eficiente. Gerenciar uma operação de qualidade é uma tarefa complicada.

Além de talento, requer dedicação e habilidades. No entanto, os gerentes precisam perceber que existe um trade-off (situações em conflito de escolha) entre inovar e otimizar operações. Executar operações eficientes exige uma padronização e controle para gerar resultados previsíveis.

Já inovação requer experimentação. Ou seja, é preciso tentar coisa novas. O que o torna bem sucedido em um ambiente competitivo provavelmente será um obstáculo quando as coisas mudarem. Então é preciso encontrar um equilíbrio saudável entre o presente enquanto ainda deixa espaço para criar e construir para o futuro.

Procure um caso “hair-on-fire”

Bons gerentes operacionais aprendem a identificar grandes mercados. Os maiores ajudam na expansão de negócios, geração de receitas e permissão de investir em operações.

Maiores ganhos resultam em margens de lucro mais gordas. Elas permitem mais investimento em melhorias, criando um ciclo virtuoso. No entanto, quando você está tentando fazer algo realmente novo e diferente, tentar escalar rápido demais pode acabar com sua empresa logo no início.

Um produto verdadeiramente revolucionário é imprevisível, até porque acaba não sendo bem compreendido. Uma estratégia melhor, então, é identificar um caso hair-on-fire.

Leia também: Entenda porque o Stories do Instagram foi a criação mais inteligente

Ou seja, alguém que precisa de um problema mal resolvido e está disposto a ignorar as falhas inevitáveis. Esse tipo de caso ajuda a identificar defeitos e corrigi-los. Depois de resolver, você pode começar a escalar para casos mais comuns.

Há casos em que o mundo não está pronto para inovação

No momento em que Alexander Fleming divulgou sua descoberta da penicilina, ninguém notou. Quando executivos da Xerox viram a máquina Alto pela primeira vez, eles não viram qual era o grande problema.

Leia também: O que é o Google?

Nós pensamos que a próxima grande coisa será óbvia. Mas, na verdade, ela começa a parecer nada. Quando algo realmente tem o poder de mudar o mundo, o mesmo não está pronto para isso.

É preciso ganhar tração em um setor específico e combinar com outras inovações antes de causar impacto. Mas ninguém diz isso. A inovação nunca é um evento único. É um longo processo de descoberta, engenharia e transformações.

FONTE