Publicidade no YouTube: exemplo português gera alerta


Publicidade no YouTube

Muitos influenciadores querem fazer publicidade no YouTube. Mas por mais que alguém se ofereça para te pagar por esse serviço, isso não quer dizer que aceitar seja uma boa ideia.

É sempre bom esperar por marcas que sejam mais relacionadas com seu estilo, seu marketing pessoal. Além disso, você só deve fazer parceria com marcas que você realmente seria cliente, afinal de contas, você não recomenda algo que não te agrada.

Mas, nós podemos ir além disso. Também é importante não recomendar nada que seja contra a lei. Portanto, sempre que uma marca entrar em contato com você para anunciar na sua página, tenha certeza de que o serviço fornecido por ela está de acordo com a lei.

Pode parecer uma dica óbvia, mas um caso que está acontecendo em Portugal mostra que as coisas não são tão simples assim.

Publicidade no YouTube de portugueses vira caso de polícia

Mais de dez grandes youtubers portugueses fizeram publicidade no YouTube de sites de apostas online. Um dos exemplos de youtubers que estão sendo investigados é o SirKazzio, que tem mais de 5 milhões de seguidores.

O que eles fizeram foi anunciar os sites nos vídeos e, além disso, eles mostraram os métodos de funcionamento e as formas de pagamento. Alguns youtubers admitiram já durante os vídeos que eles eram pagos, porém outros apenas incentivaram que os inscritos do canal jogassem nesses sites.

Entretanto, esse tipo de jogo é proibido em Portugal e, portanto, o ato de divulgá-los dessa forma também é considerado crime. Se condenados, os youtubers podem pegar até 5 anos de prisão.

O que torna o caso mais problemático é o fato de que muitos desses youtubers têm um público infantil. E, mesmo que eles avisem que o conteúdo é proibido para menores de 18 anos, a lei portuguesa não considera que isso seja suficiente. Além disso, uma das influenciadoras que fez a campanha é menor de idade.

E o YouTube?

O YouTube já se manifestou sobre o caso e deixou claro que a plataforma não aceita a venda de determinados produtos. Entre eles estão “casinos de jogos de azar online” e conteúdos “que incluam links para sites que vendem os itens em questão”.

Por isso, boa parte dos vídeos foram excluídos da rede. Coisa que não agradou os youtubers.

Fontes 1 e 2