Pinterest ganha API para ajudar marcas e influenciadores


Falamos constantemente no portal sobre a ascensão do marketing de influência. E ainda sobre como as mídias sociais são essenciais para negociações com marcas e desenvolvimento do trabalho do influenciador. E agora o Pinterest também pode ser uma plataforma desse trabalho.

Infelizmente, na rede, os influenciadores se mantêm em comunidades de nicho, que acabam não chamando a atenção. Mas, na semana passada, a rede social lançou uma API destinada a ajudar marcas encontrarem e acompanharem influenciadores.

A nova ação permite que os clientes classifiquem os influenciadores por categoria. Assim, eles também conseguem ver estatísticas, como visualizações, impressões e envolvimentos.

Dentro da nova API também há uma ferramenta que permite a exibição do conteúdo de melhor desempenho dos usuários.

“Estamos sempre procurando maneiras de ajudar as empresas a ampliar seu alcance no Pinterest. Estamos empolgados para tornar mais fácil às marcas descobrir e colaborar com influenciadores”, explica David Temple, diretor de conteúdo e criadores de produtos da rede.

A empresa de marketing de influência, Klear, está entre as primeiras a receber acesso à nova API. Aliás, o diretor de operações, Guy Avigdor, revelou que mais de 90% dos usuários do Pinterest dizem que a rede os ajudou em decisões de compra.

Leia também: 5 influenciadores de marketing digital para acompanhar

API do Pinterest

De acordo com Avigdor, há uma oportunidade única e oportuna para marcas alcançarem os consumidores. Ainda mais com a rede tendo mais de 250 milhões de usuários mensalmente.

“Cada parte do conteúdo gerado pelos influenciadores no Pinterest será automaticamente rastreado, atribuído e agregado”, afirma. Nessa função, também estará incluso os KPIs de nível superior e o impacto de cada um dos influenciadores.

O serviço adicionou oito plataformas de marketing de influência. A Open Influence, HYPR, Klear, AspireIQ, Mavrck, IZEA, Influence.co e Obvious.ly.

Mas, por mais que pareça novidade do Pinterest, não é a primeira tentativa de ingressão no marketing de influência. Primeiramente, a rede social lançou em 2016 o Pin Collective, uma rede de influenciadores externos que trabalham com marcas para o desenvolvimento de trabalhos criativos.

Em 2017, a rede lançou ainda uma ferramenta personalizada, que automatiza campanhas de Pins, promovidos das empresas com criadores de conteúdo.

No momento, os usuários do Pinterest fixaram mais de 100 milhões de imagens em mais de 170 bilhões de pins. “Somos realmente uma empresa de big data – nossa escala é tremenda”, mostra Vanja Josifovski, chefe de tecnologia do Pinterest.

No Pinterest, cada pin é basicamente uma imagem e um texto. Assim, as pessoas realizam curadoria desse conteúdo em conselhos, que refletem um refinamento dos gostos das pessoas.

Realidade de mercado

Atualmente, com o desenvolvimento maior do mercado de marketing, não é só o Pinterest que tenta aproveitar melhor os influenciadores.

Neste ano, por exemplo, o Snapchat também teve sua jogada. Em fevereiro, a empresa lançou o Storytellers, um programa para conectar as marcas com influenciadores para colaborações de conteúdo.

Já em junho, o Facebook divulgou o Brand Collabs Manager, mecanismo de busca que visa conectar profissionais de marketing com influenciadores. E com o Twitter também não foi diferente. Em abril, a empresa lançou o Creator Originals.

O programa em questão permitia que profissionais do marketing patrocinassem vídeos sem marcas. Por isso, os anúncios eram feitos in-stream ou precedentes.

Leia também: influu: conheça a plataforma que conecta influenciadores e marcas

Fontes: 1 e 2