Mulheres gamers existem e, no Brasil, são muitas


Mulheres gamers

Ainda há muito preconceito com mulheres gamers. Infelizmente muitas meninas ainda precisam “provar” que gostam de jogar. E também há o assédio. Mas elas não desistem e as coisas podem mudar.

Quem nunca viu o relato de mulheres gamers afirmando que ao dizer que curtem games elas precisaram responder a várias perguntas que os homens não precisam responder?

Elas precisam falar nomes de jogos, de personagens e tantas outras coisas. Além disso, há o fato de que muitos homens gamers acham que podem tratá-las de forma objetificada. A maior prova disso é a onda de acusações do movimento me too dos games.

Um dos motivos para afastar as meninas dos jogos é o fato de que elas não são estimuladas na infância. Em geral, meninos ganham vídeo games, meninas não.

Entretanto, isso felizmente não está afastando as meninas dos jogos. Aliás, o número de jogadoras só aumenta. De acordo com uma pesquisa do DataFolha, as mulheres gamers representam 47% do mercado brasileiro.

A pesquisa

O estudo foi encomendado pela BGS – Brasil Game Show. Além dos números referentes às mulheres gamers, o estudo mostrou também que 4 em cada 10 brasileiros acima de 12 anos jogam.

A respeito da localização desses brasileiros, o estudo apontou que:

  • 44% estão na região Sudeste;
  • 28% estão no Nordeste;
  • 13% estão localizados no Sul;
  • 8% são encontrados no Norte;
  • 7% na região Centro Oeste.

Além disso, 40% dos brasileiros entrevistados para o estudo afirmaram que consomem conteúdos de e-Sports.

A BGS

Por causa da pandemia da Covid-19, a BGS 2020 vai acontecer de forma online no dia 31/07 (sexta feira).

Por isso, se você quiser participar do evento, precisa se conectar nos canais da BGS no Youtube, Twitch ou Facebook a partir das 13hrs. Serão 8 horas de live.

Mais informações podem ser obtidas no site oficial do evento.

Fonte