Me too: mundo dos gamers e as acusações de assédio


O movimento me too iniciado em Hollywood tinha o objetivo de expor assediadores. Entretanto, não é preciso dizer que eles não existem só nos EUA e nem se limitam ao mundo do cinema. Por isso, as gamers também estão sofrendo com esse crime.

Um dos maiores jogadores denunciados foi o SayNoToRage. Ele é famoso por fazer transmissões do jogo “Destiny 2”.

Ele – assim como muitos outros – joga na plataforma do Twitch. Inclusive, a primeira mulher a fazer uma denúncia contra ele também é jogadora da plataforma.

O assédio denunciado aconteceu em 2017, durante um evento. Segundo o depoimento, o SayNoToRage se aproximou e aproveitou para tocá-la de forma imprópria e sem o consentimento da mesma.

Por mais que essa tenha sido a primeira denúncia, ela não foi a única. Depois desse exposed, várias outras jogadoras apareceram para dizer me too, ou seja, eu também.

O gamer se manifestou sobre as acusações duas vezes. Na primeira, ele disse que suas atitudes eram fruto de traumas da adolescência. Entretanto, isso foi deletado e, em seu lugar, ele postou um vídeo pedindo desculpas.

Nesse pedido de perdão, ele disse que fez coisas inaceitáveis e que está arrependido de tudo. Além disso, afirmou que não queria se fazer de vítima, pois não é ele a vítima dessas atitudes.

Me too e Twitch

A plataforma Twitch também se manifestou sobre as acusações aos jogadores. Em um post no Twitter, eles disseram que “levamos as acusações de agressão e assédio sexual muito a sério. Nós estamos analisando os casos relativos a streamers afiliados ao Twitch e trabalharemos com a aplicação da lei, quando for aplicável”.

Além disso, eles escreveram: “Somos gratos pela bravura mostrada por aquelas que falaram sobre suas experiências e estamos comprometidos para trabalhar e fazer a comunidade de streaming segura para todo mundo”.

Fontes 1 e 2