Jovem de 17 anos é suspeito do maior ataque hacker ao Twitter


No meio de julho, uma falha de segurança aconteceu em uma das maiores redes sociais do mundo. Na prática, tratou-se e um mega-ataque hacker ao Twitter.

Entretanto, duas semanas depois, o caso ganhou novos desdobramentos. E, segundo as autoridades, um adolescente pode estar por trás do atentado.

Neste post, entenda o que aconteceu e o que foi divulgado oficialmente sobre o ataque hacker e os suspeitos.

Ataque hacker ao Twitter

Em 15 de julho, grandes personalidades tiveram suas contas do Twitter hackeadas. Elon Musk, Jeff Bezos, Bill Gates e Barack Obama foram algumas das vítimas. No entanto, sabe-se que mais de 30 perfis de famosos foram envolvidos.

A grave falha de segurança consistiu no acesso indevido a esses perfis. No entanto, a ação não ficou por aí. E isso porque os hackers se valeram da influência dessas personalidades para tentar roubar dinheiro dos seguidores.

E isso aconteceu da seguinte forma: assim que as contas foram hackeadas, os responsáveis pelo ataque postaram uma mensagem contendo o endereço de uma carteira de bitcoins.

A intenção era que os seguidores das contas invadidas realizassem a ação pedida – ou seja, que comprassem US$ 1.000 em criptomoedas para que supostamente recebessem o valor em dobro. E, além disso, o falso tuíte se valia da pandemia ocasionada pelo Covid-19 para justificar a ação.

Hoje as postagens já não estão nos perfis. Mas veja abaixo um dos prints feitos:

Mas, quem estava por trás do maior ataque hacker promovido no Twitter? E como isso aconteceu? Apenas no final de julho, as autoridades deram maiores esclarecimentos sobre o ocorrido.

Veja a seguir o que foi divulgado sobres os suspeitos, dentre os quais está um jovem de 17 anos, e como eles agiram.

Suspeitos

Na última sexta-feira (31), agências policiais dos Estados Unidos encontraram o provável responsável pelo maior ataque hacker que o Twitter sofreu. E, segundo fontes oficiais, o mandante seria Graham Clark, um jovem de 17 anos.

Clark, que reside na cidade de Tampa, na Flórida, foi preso. Mesmo tendo 17 anos, ele foi acusado como adulto. E isso porque, segundo as leis do estado americano, menores de 18 anos podem ser processados como adultos quando o assunto envolve fraude financeira.

Em decorrência disso, Clark está enfrentando 30 acusações criminais de ciberataque, de acordo com o procurador estadual de Hillsborough, Andrew Warren.

Além do adolescente de 17 anos, também foram presos outros dois jovens: Nima Fazeli, 22 anos, e Mason Sheppard, de 19 anos.

Como o ataque aconteceu

Além dessas informações, também foi divulgado como tudo aconteceu.

Segundo as autoridades, o plano consistiu em roubar as identidades de pessoas influentes. Assim, foi possível colocar em prática uma ação rápida em que os seguidores não tivessem muito tempo para considerar suas ações – já que a “oferta” se esgotaria em 30 minutos.

A procuradoria divulgou que a ação resultou em mais US$ 100 mil em bitcoins roubados, em um único dia.

No entanto, para ter o acesso aos perfis, Clarck usou a conta de um funcionário do próprio Twitter. E, depois disso, o hacker vendeu o acesso das contas, além de postar as mensagens.

De acordo com o Twitter, 130 contas foram utilizadas durante o ataque e 36 delas tiveram duas DMs acessadas.

Como reação ao ataque, o Twitter suspendeu de forma temporária a possibilidade de redefinir senhas na plataforma. Além disso, a rede social impediu contas verificadas de realizarem publicações, para barrar o golpe.

Fonte