Instagram começa a ocultar número de likes no Brasil


Após testes no Canadá e em outros países, chega ao Brasil o novo teste do Instagram. Agora a rede social começa a ocultar o número de likes nas fotos do feed.

Com a atualização, apenas os donos de cada perfil poderão ter acesso ao número real de curtidas. Já os demais usuários conseguirão ver as fotos nos feed e uma lista de quem curtiu, mas sem a quantidade.

O número de likes foi removido também para usuários de outros países. Inclusive, o Instagram anunciou os testes em seu perfil no Twitter. E, por isso, Itália, Japão e Nova Zelândia também estão sem os likes visíveis.

Confira a lista completa de países que passam pela atualização do Instagram:

Por que o número de likes está sumindo do Instagram?

Em nota, a rede social declarou o motivo da mudança. “Não queremos que as pessoas sintam que estão em uma competição dentro do Instagram”, diz a nota. Afinal, segundo a justificativa, a mudança aconteceria por uma causa nobre.

Em 2016, Kevin Systrom, que é co-fundador do Instagram, havia declarado que o Instagram Stories surgiu para que os usuários não se estressassem com número de likes. Ou seja, o teste da rede social para o feed segue este mesmo propósito.

No entanto, nem todos enxergam a situação dessa forma. Uma thread no Twitter, com mais de 2 mil curtidas, aborda um outro ponto. Segundo seu criador Rodrigo Brancatelli, a motivação do Instagram seria a busca por mais engajamento. E os comentários converteriam melhor, de acordo com essa linha de raciocínio.

Reação de influenciadores e celebridades

Apesar da polarização dos pontos de vistas, famosos e influenciadores se posicionaram sobre a mudança do Instagram de forma positiva. Luan Santana, Cleo, Kéfera e Felipe Netto foram alguns dos que fizeram posts na rede social à favor na remoção dos likes.

View this post on Instagram

As únicas pessoas preocupadas com o fim dos likes são aquelas que vivem em função deles, ou vendiam campanhas e usavam likes como métrica para alguma coisa (o que é jurássico – quem engaja de verdade não precisa de like pra mostrar que deu resultado). Há anos eu faço campanhas contra o mundo de mentiras tóxicas que é o Instagram. Há anos eu tento mostrar, em posts e vídeos, como o Instagram é uma rede social de falsidades, de uma disputa de vaidade para ver quem cresce mais, só que quase nunca criando conteúdo, apenas vendendo uma ilusão de beleza superficial e inexistente. Conheço pessoalmente a maioria das pessoas consideradas mais belas e com as vidas mais perfeitas do Instagram e digo, com propriedade e sem medo de represálias, que quase todas essas pessoas são completamente diferentes do que vendem por aqui. A remoção dos likes talvez diminua essa disputa vazia de vaidades, essa busca constante de tentar parecer algo que não é, essa necessidade latente de utilizar 800 efeitos em cada foto para que ninguém perceba as imperfeições humanas e naturais de cada um. Essas mentiras que o Instagram propaga contribuem diretamente para o aumento de depressão, ansiedade e baixa auto-estima em milhões de pessoas por todo o planeta, incapazes de se olharem no espelho e sentirem que são tão belas quanto, ou que possuem uma vida tão boa. Que esse fim dos likes também traga o fim do facetune, dos retoques desesperados e da máscara de perfeição cobrindo uma vida comum e humana, como qualquer outra. Tomara. Apenas tomara…

A post shared by Felipe Neto (@felipeneto) on

Mas, claro, há uma parcela de pessoas que está insatisfeita com a mudança. Na maioria das vezes, as justificativas para isso são alegações de que a remoção dos likes esteja vinculada a causas políticas e sociais, como o feminismo.

E teve ainda quem fez comparações impopulares e polêmicas, como a influenciadora Ana Clara Paim:

View this post on Instagram

Não sei se é irônico quem estar escrevendo isso ser alguém que trabalha com rede social ou se justamente por isso é que faz total sentido. O sumiço das curtidas no Instagram foi alvo de muito debate entre eu e meus amigos que também trabalham com o aplicativo! Fatos são indiscutíveis. Números são fatos? Sim. Sentimentos também são. Não dá pra negar como me sinto: liberta! Quantas vezes você já verificou a mesma postagem mais de uma vez pra ver quantos corações havia recebido? Eu boto minha mão no fogo que todo mundo, já ficou feliz por um post ter alcançado um número legal de curtidas e também já se perguntou o por quê outro não deu tanto assim. O fato, é que do mesmo jeito que dizem que “mulher se veste pra outra mulher”, nós, postamos pros outros. Senão, um álbum de fotos e um caderno pra ser feito de diário nos satisfaria. Mas não, a gente quer se expor. Quer ter um nome. Uma imagem. Ótimo. Mas então vamos postar o que nos dá vontade, né? Quem verdadeiramente somos. Esse é o intuito inicial de qualquer rede social. Captar a sua essência através do seu conteúdo espontâneo. Se gostarem de você, maravilha, sua popularidade veio com a sua autenticidade. Mas nós, humanos, estragamos tudo. Descoberto isso, a autenticidade virou pré-requisito, a personalidade é elaborada e a necessidade por aceitação é unânime. Logo, não postamos mais nossa essência e sim o que outras pessoas gostariam de ver. Inverteu a porra toda. O que era pra ser um meio de expressão, virou uma prisão em série. Deixamos nossos adolescentes acreditando que precisam ter corpos e famílias perfeitas pra se encaixarem no mundo. Deixamos pessoas anoréxicas em busca de aceitação. Estragamos valores, fodemos nossas crianças, e o que era pra fornecer liberdade só nos trouxe de volta à escravidão. Conteúdo espontâneo de volta, e tudo que for exposto, que seja de coração. A humanidade agradece.

A post shared by Ana Clara Paim (@anaclara.paim) on

Como isso afeta o marketing de influência e as marcas?

Muitos serviços terão que se adaptar agora que o número de likes das fotos não será mais visível. É provável que esse indicador passe a ser colocado em segundo plano pelas marcas. No entanto, como ele ainda estará visível para os donos dos perfis, o número de likes ainda pode estar presente nos relatórios.

Mesmo assim, é importante acompanhar como os usuários brasileiros do Instagram vão se adaptar a essa mudança. E, claro, ver como isso afetará no engajamento dentro da plataforma.

A Netflix, no entanto, aproveitou a mudança para criar um conteúdo engraçadinho em cima da atualização. Veja:

Resta agora acompanhar como as marcas e os influenciadores vão reagir à mudança no dia-a-dia.

Fontes 1 e 2