Gabriela Pugliesi – Covid-19, festa e pedido de perdão


A influenciadora Gabriela Pugliesi foi uma das primeiras a revelar que estava com a Covid-19. Mas, desde o começo, algumas atitudes da influenciadora causaram polêmicas.

Gabriela foi contaminada pelo coronavírus no casamento da irmã. Ela anunciou que estava com a doença no começo de março, logo depois da cerimônia que foi realizada em Trancoso, na Bahia.

Além dela, vários outros convidados teriam sido infectados pela doença. E, de acordo com uma reportagem do G1 é possível que uma mulher que morreu da doença tenha sido infectada na festa de forma indireta.

O marido da vítima trabalhou como motorista em um casamento que tinha convidados em comum com os que estavam no casamento da irmã de Pugliesi. Obviamente ninguém é culpado pelo que aconteceu, mas é preciso prestar os devidos respeitos a todas as vítimas e é por isso que a influenciadora tem sido tão criticada.

Primeira onda de críticas

A primeira onda de críticas aconteceu logo depois que a influenciadora descobriu que estava com a doença. Ela fez várias piadas relacionadas à situação e, inclusive, dizia que seu marido – que estava com ela em casa – iria pegar também.

Entretanto, não foi apenas isso. Em um momento reflexivo, a influenciadora fez um post que também não foi bem visto, pois falava sobre igualdades na pandemia.

Porém, não é bem assim que a coisa funciona. É sabido que as pessoas em situação mais vulnerável estão sofrendo mais com a pandemia. Além da falta de saneamento básico, há o fato de que boa parte dos brasileiros não têm o que comer enquanto ficam em casa. Por isso, muita gente está dependendo da solidariedade alheia para poder seguir em frente.

Além disso, nem todo mundo está confortável em casa. Houve um aumento significativo no número de agressões domésticas. E não podemos nos esquecer que algumas pessoas estão isoladas com toda a família em um único cômodo.

E nós ainda precisamos lidar com o fato de que, estatisticamente, sabe-se que o número de vítimas é maior entre as pessoas mais pobres.

Depois que o post foi criticado, a influenciadora o removeu da rede social.

O post

“Algo invisível chegou e colocou tudo no lugar. De repente os combustíveis baixaram, a poluição baixou, as pessoas passaram a ter tempo, tanto tempo, que nem sabem o que fazer com ele. Os pais estão com os filhos, em família. O trabalho deixou de ser prioritário, as viagens e o lazer também. De repente silenciosamente, voltamo-nos para dentro de nós, para entendermos o valor da palavra solidariedade.

Num instante damos conta que estamos todos no mesmo barco, ricos e pobres, que as prateleiras dos supermercados estão vazias e os hospitais cheios e que o dinheiro e os seguros de saúde, que o dinheiro pagava, não têm nenhuma importância, porque os hospitais privados foram os primeiros a fechar. As garagens e parques estão parados, igualmente os carros top de linha ou ferro velhos antigos, simplesmente porque ninguém pode sair. Bastaram meia dúzia de dias para que o UNIVERSO estabelecesse a igualdade social, que se dizia ser impossível novamente. O medo invadiu todos. Que isto sirva para nos darmos conta da vulnerabilidade do ser humano. Não se esqueçam, bastou meia dúzia de dias”.

A festa de Gabriela Pugliesi

Mas o que realmente causou problemas para Gabriela Pugliesi foi uma festa feita em homenagem à ex BBB Mari Gonzales. A festa – realizada na casa de Pugliesi contou com a participação de outras influenciadoras.

Como todo mundo sabe – ou deveria saber – o isolamento social inclui o fato de que você não deve receber pessoas na sua casa. Especialmente para uma festa cheia de abraços e fotos com pessoas bem juntinhas.

No dia seguinte, a influenciadora gravou um vídeo pedindo desculpas, mas isso não diminuiu o problema. Inclusive, ela recebeu uma resposta da atriz Tata Werneck que não gostou nem um pouco dessa história

Contratos perdidos

No decorrer do dia de hoje, o que nós acompanhamos foi o posicionamento do público e das marcas. Gabriela Pugliesi já perdeu mais de 100 mil seguidores.

Além disso, ela perdeu também uma série de contratos. A primeira marca a se manifestar foi a BAW Clothing. “Não apoiamos a atitude da Gabi e estamos suspendendo a parceria com ela”. Outras marcas que se manifestaram afirmando o fim da parceria foram a Liv-up, pipocas Mais Pura, Desinchá, Rappi e Hope.

E, além de não ter sido só essa a marca a se posicionar, não foi apenas a Gabriela quem perdeu contratos.


Fontes 1 , 2 e 3