Pular para o conteúdo

Conheça as principais futuras tendências da Internet das Coisas

Sendo uma rede de objetos e materiais que possuem tecnologia, a Internet das Coisas é um ponto crucial na evolução tecnológica. E neste mês, o Gartner Group, uma das maiores empresas de consultoria, anunciou o estudo das principais tendências da Internet das Coisas até 2023. Essas tendências, no caso, serão as responsáveis pelas principais inovações nos negócios digitais.

De acordo com Nick Jones, vice-presidente de pesquisa da empresa, a Internet das Coisas vai continuar oferecendo novas oportunidades de inovação. Além do fato de executivos que dominarem essas futuras tendências terão a oportunidade de liderar a inovação digital nos negócios. As empresas devem trabalhar para garantir que tenham habilidades. E os parceiros necessários no apoio das tendências.

De acordo com a empresa, os líderes de TI serão responsáveis por três vezes mais endpoints em 2023. Isso comparado ao número de dispositivos atuais. Então, a empresa anunciou as dez principais tendências da Internet das Coisas nos próximos cinco anos.

Confira cinco delas, que vão permitir a geração de novos fluxos. E novos modelos de negócios.

Leia também: Entenda porque os Wearables são o futuro da tecnologia

Inteligência Artificial

Segundo a empresa, 14,2 bilhões de equipamentos conectados serão usados no próximo ano. Até 2021, esse número vai crescer para 25 bilhões. Aumentando cada vez mais o volume de informações.

Para Jones, os dados são o principal combustível da Internet das Coisas. Além da capacidade das organizações de criarem valor a partir dessas informações. Isso vai ser fundamental para definir o sucesso das empresas ao longo do tempo.

A tecnologia será aplicada para uma ampla gama de informações. Estando presente em vídeos, imagens estáticas, atividade de tráfego de rede e dados de sensores, por exemplo. Para Jones, o cenário da Inteligência Artificial é complexo. E vai continuar assim até 2023.

Leia também: Qual o potencial da realidade virtual no YouTube?

Mesmo com a existência da complexidade, bons resultados ainda poderão ser obtidos.

Internet das Coisas mais social, legal e ética

Quanto mais há o amadurecimento da Internet das Coisas, mais questões sociais, legais e éticas serão discutidas com importância. A discussão inclui a propriedade dos dados e suas deduções, por exemplo.

Para Jones, a implantação de uma solução à Internet das Coisas exige que ela não seja só eficaz de forma técnica. Mas também social.

CIOs, então, devem educar não só aos seus funcionários, mas também a si mesmos. É preciso revisar algoritmos-chave e sistemas de inteligência artificial para identificar algum possível viés.

Governar a Internet das Coisas

Com sua expansão, será preciso uma estrutura capaz de governar seu comportamento de criação. Não só isso, mas também de armazenamento, uso e exclusão de informações de projetos. Essa governança vai de tarefas simples até problemas complexos.

Neste caso, CIOs vão precisar assumir um papel de também educar organizações sobre a importância desse governo. E até investir em profissionais e tecnologias para ajudar na gestão de TI.

Novas tecnologias sem fio

Hoje, toda a rede de Internet das Coisas envolve o balanceamento de um conjunto de requisitos que se disputam. Como o custo de ponto final, consumo de energia, largura da banda, latência, densidade de conexão, entre outros.

Na nossa realidade, nenhuma tecnologia de rede é capaz de otimizar isso tudo de forma única. Contudo, as novas tendências da Internet das Coisas no quesito de tecnologia de rede, vão fornecer mais opções e flexibilidade aos CIOs.

Hardware e Software confiáveis

Segundo as pesquisas do Gartner, a segurança é a área de maior preocupação técnica. Isso porque, geralmente, as empresas não tem controle sobre a origem dos programas e equipamentos utilizados nas tendências da Internet das Coisas.

Mas, para Jones, é esperado até 2023 uma implantação de combinações de hardware e software. O objetivo é que, juntos, criem ambientes mais confiáveis e seguros na Internet das Coisa.

De acordo com Jones, a empresa aconselha que CIOs colaboram com os principais executivos de segurança digital para garantir que haja uma participação de todo o time nas decisões que envolvam a compra de dispositivos de Internet das Coisas. E sistemas operacionais mais incorporados.

Leia também: Conheça dicas importantes para proteger sua conta do Instagram

FONTE

22 de junho de 2018

YouTube exclui vídeos por direitos autorais

Os sistemas automatizados do YouTube seguem bloqueando vídeos por solicitação de direitos autorais. Na última segunda (18) a vez foi do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e da Blender…

2 de agosto de 2018

Playlists de vídeos funcionam no YouTube?

Montar playlists de vídeos do seu canal vale mais a pena do que você imagina, mas, claro, se utilizada de forma inteligente. Há uma possibilidade de multiplicar as suas visualizações…

26 de outubro de 2017

Errei ao gravar um vídeo, e agora?

É quase impossível gravar um vídeo para o YouTube sem erros, seja por gaguejar em uma fala ou por passar alguma informação incorreta. Se isso acontecer, fique tranquilo e faça…

3 de novembro de 2017

Como o Jump Cut pode tornar seu vídeo mais dinâmico

Não são apenas os influenciadores iniciantes que cometem erros na hora de editar os vídeos. Aliás, frequentemente isso acontece também com os youtubers mais famosos. Sobretudo na técnica do jump…

Rua Teodoro Sampaio, 2767 Sala 22 - Pinheiros, São Paulo, Brasil - CEP: 05405-250
thais@influu.me | imprensa@influu.me
CNPJ:19.354.277/0001-40

© Copyright influu.me - 2020
Todos os direitos reservados