Fran para meninas: família se pronuncia


Nessa semana uma grande polêmica tomou a internet. O caso da menina Bel e de sua mãe, do canal Fran para meninas. Os pais da Bel se manifestaram. O que eles têm a dizer?

O caso da Bel ganhou o Twitter depois que uma thread foi criada na rede social. Nela, o criador afirmava que os pais dela, especialmente a mãe – Fran para meninas – abusavam da filha.

Os abusos seriam de ordem psicológica, por meio de humilhações nos vídeos do YouTube. Além disso, afirmava que ela não deixava a menina se comportar como uma adolescente, tentando mantê-la infantilizada.

Se você não sabe do que eu estou falando, pode acompanhar a evolução desse caso no nosso outro post. Acesse-o aqui.

Fran para meninas: o pronunciamento

Em primeiro lugar, os pais das meninas deixam claro que o vídeo é para fãs. Não é uma tentativa de diálogo com quem utilizou o Twitter para criticar a família.

Eles deixam claro que sua ideia inicial era não se importar com o que estava sendo dito na rede. Entretanto, a campanha realmente se tornou muito grande e foi até para a televisão.

Nós já havíamos noticiado aqui que o apresentador Luiz Bacci havia comentado o assunto no Instagram. Além disso, ele fez matérias sobre o caso.

Além disso, os dois falam sobre questões de saúde mental e física. O foco do texto é sempre nas meninas, mas eles também deixam claro que estão preocupados com a integridade física de toda a família.

O vídeo completo pode ser visualizado por meio desse link.

Conselho Tutelar

No vídeo, os pais também falam sobre o ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente – e dos “órgãos responsáveis pela proteção de crianças”. Além disso, afirmam que os procedimentos que estão na Justiça tramitam em segredo.

Isso é um fato muito importante a ser levado em consideração. A mobilização na internet é de extrema importância para revelar casos de abuso ou outros crimes cometidos pela internet.

Entretanto, precisamos lembrar sempre que existem órgãos da justiça para que as investigações e possíveis punições sejam realizadas.

No momento, é importante pensar que os internautas não sabem quais impactos o assunto pode ter nas crianças. Especialmente na Bel – que é mais velha.

O conselho tutelar já fez a primeira visita à família. Em entrevista ao Extra, o conselheiro disse que

“A família está fragilizada, com medo de sair de casa pela repercussão nacional. A adolescente (Bel) está lúcida, conectada, submersa nessa avalanche de informação. O que nos parece é que ela quer entender tudo isso. Se a família é vítima, ou autora de violência, não cabe a nós, cabe aos órgãos de justiça”.