Coronavírus: cuidados que influenciadores e marcas precisam ter ao falar da doença


O coronavírus tem sido um dos assuntos mais comentados da mídia e das redes sociais nos últimos tempos. Declarado como pandemia pela OMS (Organização Mundial da Saúde), o Covid-19 já se espalhou por todos os continentes, com exceção da Antártida.

Atualmente, mais de 124 mil pessoas em todo o mundo estão infectadas e, dentre elas, estão famosos e influenciadores. Com o crescente número de pessoas testando positivo para o vírus, o tema ganha cada vez mais alcance.

Neste cenário, tanto marcas quanto influencers precisam ter a responsabilidade de não desinformar seus seguidores ao abordarem o assunto. E, por isso, neste post, vamos reforçar os cuidados necessários ao falar sobre o coronavírus nas redes sociais.

Influenciadores e famosos testam positivo para o coronavírus

Com o aumento do número de casos do novo coronavírus, o tema deixou de ser exclusivo das editorias de Saúde e Internacional. Recentemente, ele já está sendo associado a assuntos do Esporte, Cultura e até mesmo Variedades.

E isso tem acontecido porque grandes eventos já começam a ser desmarcados, fronteiras fechadas, além de pessoas famosas anunciando o teste positivo para o Covid-19.

Celebridades como Tom Hanks e sua esposa, Rita Wilson, anunciaram que estão com coronavírus. No Brasil, o cantor Di Ferrero e a influenciadora Gabriela Pugliesi também confirmaram o diagnóstico.

Com mais pessoas influentes pegando o vírus, o assunto tende a ser cada vez mais presente não apenas em jornais e programas televisivos, mas também nas redes.

Cuidados ao falar da doença nas redes sociais

O número de buscas pelo coronavírus no Google tem crescido desde o começo de 2020. Além disso, no Instagram já há mais de 2,3 milhões de posts com a hashtag #coronavirus.

Desde que descobriu o vírus, Pugliesi tem usado os stories no Instagram para compartilhar seu atual estado de saúde. E a tendência é que o mesmo aconteça com marcas e influenciadores que tenham alguma proximidade com o vírus – caso parentes, amigos, etc sejam diagnosticados, por exemplo.

Por isso, veja a seguir os principais cuidados ao falar do coronavírus nas redes sociais.

Use fontes confiáveis

Você já deve ter reparado que aqui no Blog da influu sempre colocamos os links consultados no final de cada post. Estas são as fontes nas quais colhemos as informações que trazemos aqui.

Por isso, esses links geralmente são de órgãos oficiais e veículos sérios.

Quem reúne um número expressivo de seguidores nas redes sociais precisa ter o compromisso de acessar fontes confiáveis. Ainda mais quando se trata do marketing de influência, que envolve uma relação de confiança entre influenciador e seguidor.

Não incentive curandeirismo

Independente de crenças pessoais, é importante evitar associá-las a uma possível cura ou imunidade. Afinal, trata-se de uma questão de saúde pública.

Por isso, não compartilhe mensagens de que se a pessoa acreditar, orar, fizer algum ritual será imune ou curada. Além dessa prática ser errada, ela se enquadra em curandeirismo ou charlatanismo e é um crime tipificado no Código Penal.

Não generalize

Por mais que você conheça alguém que esteja melhorando ou mesmo se você tiver uma visão diferente daquela veiculada em veículos oficiais, não use seu exemplo como verdade universal.

Evite passar a ideia de que todos ficarão bem porque você conhece alguém que ficou bem. Afinal, isso pode influenciar as pessoas a serem menos cuidadosas ou subestimar situações de risco.

Tenha compromisso com seus seguidores e use sua influência com responsabilidade.

Fontes: 1, 2, 3 e 4