Booktubers: conheça os influenciadores que transformam inscritos em leitores


O universo vasto fornecido pelo YouTube oferece milhões de estilos de conteúdo. E não só de entretenimento. Aliás, do mesmo modo que o Instagram se mostrou um salvador da poesia, o YouTube também está ajudando na formação de leitores e escritores, através dos booktubers.

Christine Riccio, por exemplo, começou no YouTube com vídeos engraçados, dançando Piece Of Me, da Britney Spears, junto com a irmã. Até que, em 2010, quando ingressou na faculdade, ela falou pela primeira vez com a câmera. Era uma resenha do livro “Jogos Vorazes”.

Segundo Christine, sua escolha da internet veio pelo fato de não ter ninguém com quem discutir os livros que lia. “Eu estava tipo, ‘terei sorte se conseguir 500 inscritos aqui”. Em 2012, passou a focar na plataforma. Ela leu e criou ideias em vídeo para seu canal, PolandBananasBooks, onde começou a publicar esquetes, reações de adaptações de livros e suas compras.

Atualmente, Christine já conta com quase 400 mil inscritos, tornando-se uma das mais populares booktubers da plataforma.

O YouTube dos bookutbers

O fato de Christine e outros booktubers atingirem um público mais jovem é significativo. Até porque permite que editores acessem um mercado que pode não só trazer recomendações de livros “tradicionais”.

Leia mais: Maioria dos usuários do YouTube usam o site para aprender

De acordo com Erica Barmash, diretora de marketing da gravadora Bloomsbury, o canal de Christine a ajudou atingir os adolescentes. Isso porque ela foi atrás deles onde eles já estão, no YouTube. Ainda que tenha se tornado uma influenciadora literária, seus vídeos ainda possuem a essência humorística do seu início na plataforma.

Porém, em meio a milhares de inscritos e humor, seu conteúdo é nichado. Na VidCon – a maior celebração mundial de vídeos digitais e criadores – os BookTubers são peixes pequenos. Contudo, no mundo dos livros, eles são as maiores celebridades.

Em conferência de eventos literários, como a BookCon ou YALLFest, praticamente todo o público são inscritos de algum booktuber. Tendo painéis com mais de 700 espectadores. Dentre milhões de inscritos de uma youtuber de beleza, parece pouco, mas não se engane quanto ao engajamento.

Influenciadores literários

Brittany Kaback, da agência Big Honcho Media enxerga os BookTubers como “extremamente influentes”. “Eu acho que para muitas pessoas que estão assistindo vídeos de BookTubers, parece que é como pegar uma recomendação de um amigo“, afirma ao NY Times.

E o universo dos BookTubers é parecido com o de outros influenciadores. Eles recebem livros antecipadamente das editoras, que também patrocinam os vídeos para promover novos lançamentos.

Embora a influência seja difícil de quantificar, Brittany diz que o engajamento dos espectadores é substancial. Muitos inscritos já afirmaram terem sido convencidos a comprar um livro avaliado em vídeo.

De acordo com o próprio YouTube, a comunidade de BookTubers ultrapassou 200 milhões de visualizações. E, em um ano, o engajamento aumentou 40%. Enquanto os maiores BookTubers, Christine e Jesse George tendem a se concentrar na literatura para jovens adultos.

Conteúdo maduro

Entretanto, há uma subseção, ainda menor, de criadores, cujo conteúdo é centrado na literatura adulta. Nesse caso, há um foco tanto na clássica quanto na contemporânea.

Neste foco, o canal The Storyscape, da Dominique Taylor, disse que sua aspiração pra o canal é que ele se torne “um centro de ensino literário”. Para ela, o estilo de vídeo é um “refúgio para pessoas que nunca se sentiram legais ou populares em relação a suas leituras”.

Tanto Christine quanto George possuem o mesmo pensamento. “Isso é o que acontece com o BookTube. Se você não é um grande leitor, isso inspira você a se tornar um“, afirma George.

E isso acaba também formando aspirantes a escritores. Christine é um exemplo. Ela já está em processo de trabalho do romance Again, But Better. Com isso, parte de seu conteúdo agora está focado em outra comunidade de nicho, o AuthorTube.

Nesse caso, é composto por autores que documentam o processo de escrita. Isso faz com que o processo de escrita e leitura, sempre solitária, torna-se interativa.

No Brasil

Por aqui, a realidade não é diferente. Eduardo Cilto, do canal Perdido nos Livros, é um dos grandes, com mais de 320 mil inscritos em seu canal. Mas seu foco não seu limita apenas no literário.

Atualmente, Eduardo também faz análises de séries e filmes. Além de tratar de estilo de vida.

Formada em Letras e pós-graduada em ensino de idioma, Tatiana Feltrin é também é uma leitora ávida. E por isso, passa seu conhecimento para 322 mil pessoas.

Outra que se destaca é a Pam Gonçalves. Tratando de livros, adaptações literárias e dicas de escrita, ela criou o canal com base no seu blog Garota it. Além de fazer análises, também já publicou os romances Boa Noite e Uma História de Verão.

FONTE