Adoção: influenciadores devolvem menino com necessidades especiais


Myka Stauffer é uma influenciadora americana. Ela e seu marido têm quatro filhos e eles iniciaram há alguns anos um processo de adoção internacional. Eles conseguiram, mas resolveram devolver a criança.

Huxley é um menino nascido na China. Ele foi adotado pela família americana em 2017, quando tinha apenas 2 anos. O menino nasceu com algum problema de saúde, mas os influenciadores só revelaram que era algo relacionado ao cérebro e nunca entraram em detalhes sobre a situação.

Os dois sabiam disso quando iniciaram o processo de adoção. Entretanto, eles afirmam que esses problemas acabaram sendo “maiores do que eles imaginaram”.

O processo de adoção foi registrado em diversos vídeos no canal da família. Durante esse processo – que contou com 27 vídeos – gerou uma série de novos seguidores para o canal e o Instagram dos influencers.

Por isso, alguns seguidores chegaram a cogitar que o casal tenha feito a adoção com esse intuito. Mas o casal rechaça completamente essa possibilidade e afirma que os problemas foram todos médicos.

Várias marcas resolveram se desassociar da influenciadora. Inclusive a atriz Kate Hudson informou no Instagram que o contrato de sua marca com a influencer estava acabado.

O anúncio do fim da adoção

O casal falou sobre o assunto no Instagram e, além disso, eles fizeram um vídeo para o YouTube.

Eles afirmaram que amam muito o menino, mas que ele precisava de cada vez mais cuidados médicos. Segundo o casal, a decisão de desfazer o processo de adoção e tornar a abandonar a criança foi muito difícil, entretanto eles a julgaram necessária.

A Myka ainda afirmou que o menino já está com uma “nova mãe” e que essa mulher é formada na área da saúde. Portanto, eles afirmaram que esse seria o “match perfeito”.

O casal já tinha três filhos biológicos quando decidiu adotar o menino. No ano passado eles anunciaram a surpresa de uma quarta gestação e deram a luz a mais um bebê.

Por mais que essa situação seja triste ela não é única. Nos EUA – onde aconteceu esse caso – e no Brasil crianças seguem sendo devolvidas depois do processo de adoção completo.

Isso é traumático, especialmente para crianças que já passaram por isso. Portanto, é importante que as pessoas só entrem na fila para adotar se estiverem certas da sua vontade.