58 milhões de vídeos foram excluídos pelo YouTube


Não é segredo o fato de que o YouTube tem sido pressionado pela comunidade internacional. A Europa já chegou a votar em medidas que poderiam causar o fim da plataforma. 58 milhões de vídeos foram excluídos pelo YouTube.

A pressão sobre a plataforma surge dos Estados Unidos, Ásia e, principalmente, Europa. Os países do continente europeu acreditam que o Youtube deveria ser multado sempre que um vídeo impróprio não for excluído em uma hora.

As exclusões fazem parte de uma tentativa do Youtube de resolver seus problemas relacionados a conteúdo. Nos meses de julho, agosto e setembro de 2018 os 58 milhões de vídeo foram deletados, bem como 224 milhões de comentários. A grande maioria das exclusões teve como justificativa o fato de serem extremistas ou incitarem a violência.

Atualmente, uma das maiores dificuldades do site é o fato de que a tecnologia para a detecção de discurso de ódio e comportamento perigoso é nova. Além disso, é menos eficiente do que para descobrir conteúdo relacionado a pornografia infantil, por exemplo. Por isso, a plataforma ainda depende muito da denúncia de usuários.

Vídeos excluídos

De acordo com as informações fornecidas pelo YouTube, alguns canais também foram excluídos. A maior parte do conteúdo excluído estava relacionado ao envio de spam. Treze por cento tinha nudez e quatro e meio por cento eram conteúdos que afetara o público infantil.

As contas excluídas também foram de um número elevado. Foram mais de  1,67 milhões de perfis. Com relação aos vídeos excluídos de forma individual cerca de  7,8 milhões violaram as leis da plataforma.

Procedimentos

Sabe-se que o Google já contratou um alto número de moderadores esse ano para manter o controle. Estima-se que, ao todo, a empresa tenha mais 10 mil funcionários exercendo essa função. Entretanto, o Youtube não quis revelar quais serão as medidas tomadas em 2019 para evitar esse tipo de situação. Talvez o site se torne ainda mais rigoroso.

Trimestralmente o Youtube está produzindo relatórios nos quais revela quais foram suas medidas para controle de conteúdo. É necessário considerar que o nível de rigor do site pode variar de acordo com a aceitação dos governantes dos países.

Fontes 1 e 2